21 de dezembro de 2013

PJ Regional sistematiza Plano de Ação Pastoral 2014-2015

por Josieli Lazzarotto
PJ Arquidiocese de Passo Fundo

A equipe de sistematização do planejamento da Pastoral da Juventude do Regional Sul 3 reuniu-se neste final de semana, 14 e 15 de dezembro, no Centro de Pastoral da Arquidiocese de Santa Maria. Esta equipe, formada na Ampliada Regional, realizada em setembro de 2013, estudou o relatório da Ampliada, bem como o Subsídio Somos Igreja Jovem e o Documento 85 da CNBB para elaborar propostas para os projetos a serem desenvolvidos pela PJ nos próximos dois anos. É importante lembrar os projetos assumidos na Ampliada Regional: Formação, Assessoria, Defesa da Vida e Missionariedade. O plano sistematizado nesse final de semana, contem, em cada projeto, uma definição, objetivos, justificativas, um ponto de chegada (como queremos estar em 2015) e propostas de ações, sendo que Missionariedade foi pensado como um projeto que guia e perpassa todos os outros, já que ao longo dos seus 40 anos, a Pastoral da Juventude sempre assumiu uma caminhada missionária para cuidar da vida das juventudes.



29 de novembro de 2013

Pastoral da Juventude missioneira realizou Assembleia Diocesana


A Pastoral da Juventude da Diocese de Santo Ângelo realizou sua assembléia diocesana nos dias 23 e 24 de novembro, na Paróquia  Nossa Senhora Auxiliadora em Santa Rosa. Participaram da assembléia jovens representando as paróquias de Santa Rosa, Cândido Godói, Alecrim, Porto Lucena, Cerro Largo, Roque Gonzáles, Santo Ângelo, Campina das Missões e Santo Cristo. 

A assembléia foi coordenada por Givago Petri e Jaqueline Borgatz e assessorada por Neidi Heck, Fenando Nonnemacher, Iana Pandolfo e Pe. Carlos Griebler. O tema discutido foi a realidade da juventude, juventude e CEBs, foi avaliada toda a caminhada da PJ em 2013 e foi encaminhado todo planejamento para 2014, incluindo escolha da nova coordenação diocesana. 

27 de outubro de 2013

Somos Igreja Jovem: Formação estadual da Pastoral da Juventude

Se o poeta é o que sonha o que vai ser real,
Vou sonhar coisas boas que o homem faz
E esperar pelos frutos no quintal!

Nos dias 11, 12 e 13 de outubro de 2013 aconteceu, em Santa Maria, a terceira etapa do Processo de Formação Estadual da Pastoral da Juventude do Regional Sul III deste ano, assessorada por  Pe. Hilário Dick, onde estudamos, com o olhar de jovens protagonistas amadas e amados por Deus, sujeitos da evangelização, o Documento 85 da CNBB (Evangelização da Juventude – Desafios e Perspectivas Pastorais); Estudo 103 da CNBB (Pastoral Juvenil no Brasil – Identidade e Horizontes); e Civilização do Amor  - Projeto e Missão, publicado pelo CELAM. 

O projeto de formação chamado Somos Igreja Jovem foi pensado a partir da realidade dos grupos de jovens do Rio Grande do Sul, da necessidade e desejo de fortalecermos nossa IDENTIDADE e cultivarmos nossa MEMÓRIA, reconhecendo-nos como Cristãs e Cristãos que dizem SIM ao projeto de vida, justiça, fraternidade e amor assumido por Jesus. Olhar para uma identidade exige olhar profundo, e não míope. Descobrir, conhecer e amar a identidade da PJ é um processo, não acontece de uma hora pra outra.  É como um aniversário: a cada dia vivemos experiências que ficam gravadas na memória e ás vezes até transformam nosso modo de agir; passado um ano, nós comemoramos e celebramos nossa vida, nossas experiências, nossos sentimentos; mas nós experimentamos a vida todos os dias e a cada dia que passa nos tornamos “mais velhos”.  Assumir a Identidade da PJ e o Projeto de Jesus, traduzindo-os em ação pastoral é carregar e descobrir a história, as lutas, as dores e os sonhos da juventude, todos os dias, não só uma vez por ano.

A primeira etapa dessa formação aconteceu em Março de 2013, em São Leopoldo, como uma oficina realizada durante o Seminário dos 40 anos da PJ Nacional. Foi um primeiro olhar e partilha da realidade da juventude e da PJ nas diversas dioceses presentes. O segundo momento aconteceu em Santa Maria, em Junho, onde fomos motivados a ver a história, metodologia e identidade da PJ dentro de um contexto histórico eclesial e social, cultivando nossa mística do cuidado e da resistência, e a nossa espiritualidade em defesa da vida. Foi nesse encontro que percebemos a necessidade de aprofundar as reflexões sobre os documentos orientadores da ação evangelizadora da Juventude. 

Realizada a terceira etapa, embasados nas reflexões produzidas, nas nossas vivências comunitárias e dos grupos de jovens, ressaltamos a importância do Documento 85 como uma luz para a construção de uma Igreja Jovem no Brasil. Ele foi construído durante quase 3 anos, passou por duas assembleias da CNBB, garante a diversidade de organizações da juventude na Igreja e propõe linhas de ação que possibilitam a formação integral de jovens que descobrem sua autonomia e assumem o compromisso com o Reino.

A partir do estudo da síntese em português do documento 173 do CELAM (Conselho Episcopal Latino Americano), intitulado Civilización del Amor – Proyecto y Misión, ainda não traduzido para o nosso idioma, também reconhecemos o marco referencial da Pastoral da Juventude do continente.  O livro apresenta elementos da realidade e história da juventude Latino Americana, fala de um Deus que ama e está próximo da Juventude, de um modelo de Igreja comprometida com o Projeto de Jesus e organizada em pequenas comunidades. Civilização do Amor confirma nossa opção pelos pobres, pelos processos nos grupos de jovens e nossa luta pela vida da juventude. 

Ao final do último encontro estadual de formação do ano de 2013, estamos seguros para afirmar que o protagonismo surge da organização e que o grupo de jovens é lugar de felicidade do jovem. Por isso, estamos motivados a seguir trabalhando pelos grupos de jovens e a fortalecer nossa organização. Agradecemos ao apoio da Cáritas Brasileira para este processo de formação, através do Fundo Nacional de Solidariedade, contribuindo para a ação efetiva e afetiva da Pastoral da Juventude no Rio Grande do Sul!

Josieli Lazzarotto
Coordenação Regional da PJ
Arquidiocese de Passo Fundo



26 de outubro de 2013

Ampliada da Pastoral da Juventude Regional Sul III

Dos dias 19 a 22 de Setembro, aconteceu no Centro de Pastoral da Arquidiocese de Santa Maria, a Ampliada da Pastoral da Juventude Regional Sul III. Esta reunião teve como objetivo avaliar as ações desenvolvidas pela Pastoral da Juventude no RS durante os últimos dois anos e planejar as ações a serem assumidas e realizadas até o ano de 2015, levando em conta os grupos de base, a realidade da juventude no Estado e a atual conjuntura eclesial. A iluminação bíblica que perpassou todo o processo de construção da Ampliada e os quatro dias de encontro foi Fil 2, 5: “Tenham em vocês os mesmos sentimentos que havia em Jesus Cristo”. 

A Ampliada foi guiada pelo método VER – JULGAR – AGIR, adotado pela Pastoral da Juventude desde o seu nascimento como caminho para construção de ações que efetivem o Projeto de Jesus. Carmem Lucia Teixeira, do Cajueiro (Centro de Formação, Assessoria e Pesquisa em Juventude) de Goiás, assessorou o encontro, auxiliando os jovens presentes a seguirem a metodologia escolhida. 

Cerca de 30 jovens e 10 assessores estavam presentes, representando a PJ de 10 Dioceses e 2 Vicariatos do Regional Sul III, que ao longo do encontro, identificaram situações problemáticas, que impedem que a realidade da juventude esteja de acordo com o Projeto de Jesus, e depois indicaram propostas de ações para solucionar esses problemas e libertar a juventude do sistema opressor que é imposto. A partir disso, quatro projetos foram assumidos pela Pastoral da Juventude em nível Regional: 
  • Missionariedade;
  • Formação de Lideranças;
  • Formação de Assessores: articulados em uma rede; 
  • Defesa da Vida: agregando a articulação da Campanha Contra a Violência e Extermínio de Jovens e atuação da PJ em espaços de promoção de políticas públicas para a juventude, como os conselhos municipais de juventude e o Conselho Estadual da Juventude (CONJUVE-RS). 

Durante os próximos meses estes projetos serão organizados no Plano de Ação Pastoral e apresentados a todos os grupos e comunidades do Estado.


15 de agosto de 2013

Subsídio de Preparação a Ampliada Regional de 2013

Iluminados pela Boa Nova do Cristo Libertador e com toda a alegria de sermos Igreja Jovem, a Pastoral da Juventude do Regional Sul 3 se prepara para mais um processo de Ampliada Regional. É momento de rever a caminhada dos dois últimos anos em nosso estado, reafirmar nossas opções pela vida da juventude e projetar os próximos passos para seguirmos mais compriometidos/as no caminho. 

Por isso convidamos a todos/as vocês, grupos de base, coordenações paroquiais, coordenações diocesanas, assessores/as, religiosos e religiosas, padres que acompanham a caminhada da PJ por este chão gaúcho a participarem deste processo! Para isso elaboramos com muito carinho um subsídio em preparação à Ampliada que contém roteiros para rodas de conversa a serem realizadas pelos grupos de jovens da PJ e também algumas questões para serem refletidas pela coordenação diocesana. Baixe o subsídio pelo link: http://migre.me/fKT22.

O resultado deste material servirá de base para a reflexão, avaliação e planejamento da Ampliada 2013. A sistematização destes materiais devem ser enviados até 10 de setembro à Coordenação Regional da Pastoral da Juventude pelo e-mail: pastoraldajuventudedors@gmail.com.

Se liguem aí: Ampliada Regional da PJ
Quando? 19 a 22 de Setembro de 2013
Onde? Centro Arquidiocesano de Pastoral – Santa Maria.
Assessoria: Carmem Lúcia Teixeira (Cajueiro – Centro de Formação, Assessoria e Pesquisa em Juventude, Goiás)
Quem Participa? 3 jovens (Representante Diocesano na CRPJ e mais 2) e um/a assessor/a de cada Diocese/Vicariato.
Investimento? R$ 50,00
O que levar? Colchonete, roupas de cama, material de higiene, material de anotação, caneca, símbolos da PJ na Diocese.
Maiores informações: com o/a representante da sua diocese na CRPJ!

"Vamos lá fazer o que será!"


2 de agosto de 2013

PJs rezam a vida dos Mártires da Caminhada Latino-americana

Jovens e assessores da Pastoral da Juventude (PJ) e Pastoral da Juventude Estudantil (PJE) se reuniram para rezar e celebrar o testemunho de vida dos Mártires da Caminhada Latino-americana.


Com o objetivo de propor uma atividade que mobilizasse os jovens que não foram a Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro, as PJs realizaram a Celebração da Vida e dos Mártires. O momento de oração e partilha da vida aconteceu no dia 27 de julho (sábado), no Centro de Pastoral La Salle, em Canoas e contou com a presença de jovens lideranças e assessores adultos dos grupos de base da PJ e da PJE, adultos que trabalham em grupos de Catequese de Crisma e religiosas das congregações das Irmãs Franciscanas da Penitência e Caridade Cristã (IFPCC) e Irmãs do Imaculado Coração de Maria (ICM).

Os presentes realizaram uma experiência de comunidades de partilha para melhor conhecer as histórias de vida dos Mártires: Roseli Nunes, Ir Dorothy Stang, Chico Mendes, Pe Gisley Gomes Azevedo, Dom Oscar Romero e Dom Hélder Câmara. Eles foram motivados a refletir de quais formas os Mártires da Caminhada Latino-americana foram fieis ao Evangelho de modo a atualizar a opção radical de construir uma sociedade mais justa e fraterna. O momento celebrativo foi vivenciado a partir do Ofício Divino das Comunidades. Onde foram rezados os sentimentos que a vida dos Mártires despertaram nas comunidades de partilha.

Ao final do encontro, foi sugerido manter este momento de encontro e oração como atividade comum das Pastorais da Juventude no Rio Grande do Sul.


23 de junho de 2013

Organizações juvenis lançam “Tenda das juventudes” na Jornada Mundial da Juventude

Com o objetivo de mobilizar os jovens presentes na Jornada Mundial da Juventude para a conscientização e luta em defesa da vida da juventude é que diversas organizações realizarão, durante o evento no Rio de Janeiro, uma atividade como espaço de debate e reflexão da realidade juvenil e políticas públicas para a juventude.



A “Tenda das Juventudes” será espaço de acolhida, formação, celebração, partilha, diálogo e convivência das mais diversas juventudes presentes na JMJ. Deseja ser uma verdadeira tenda, onde todos poderão se aproximar, aconchegar e fazer deste espaço sua morada.

A atividade terá como tema “A juventude quer viver”. Frase que tem pautado a luta pela vida da juventude em especial no combate à violência e ao extermínio que assola a juventude brasileira. A proposta dos organizadores é que esta pauta seja fomentada para os jovens de todas as partes do mudo que estarão presentes na JMJ, mobilizando assim para o engajamento na discussão sobre a banalização da violência e na defesa da vida dos jovens.

A Tenda acontecerá dos dias 22 a 26 de julho, no Galpão do Comitê Rio Ação da Cidadania, no bairro da Saúde no Rio de Janeiro/RJ. A programação contará com mesas temáticas, celebrações e momentos orantes, exposições, apresentações culturais, entre outras atrações. Destaca-se ainda o espaço em memória dos mártires da caminhada, denominado Santuário dos Mártires. Local dentro da Tenda que deseja aprofundar e celebrar a memória da tantas vidas doadas em favor do Reino.

Dentre os assuntos a serem abordados nas mesas temáticas destacam-se a juventude quer viver; justiça e transição, memória e compromisso; desafios socioambientais da humanidade e a juventude; crise econômica, direitos sociais e juventudes; tráfico de pessoas; juventudes, cultura, comunicação e direitos humanos; civilização do amor e a evangelização da juventude na América latina; e solidariedade.

A atividade está sendo organizada pela Pastoral da Juventude, Cáritas Brasileira, Juventude Frasciscana, Comissão Brasileira de Justiça e Paz, Cajueiro - Centro de Formação, Assessoria e Pesquisa em Juventude, REJU – Rede Ecumênica da Juventude, Irmandade dos Mártires da Caminhada, Setor Pastoral da PUC/RJ. Com a parceria do PNUD – Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento; da Superintendência de Juventude do Governo do RJ; da Secretaria Nacional de Juventude do Governo Federal; e da Rede Brasileira de Centros e Institutos de Juventude. Outras organizações também estão apoiando a iniciativa e que em breve serão divulgadas.

Importante também ressaltar que a iniciativa acontecerá em sintonia com a organização da JMJ, sendo uma das inúmeras atividades inscritas junto ao Comitê Organizador Local/COL e que acontecerá de maneira oficial e simultânea durante a Jornada. A Tenda está prevista no Guia do Peregrino da JMJ e respeitará a programação dos atos centrais e demais momentos significativos.

Lançamento
O lançamento da “Tenda das Juventudes” acontece no dia 15 de junho, data em que se faz memória da vida de padre Gisley Azevedo Gomes, assassinado em Brazlândia/DF, em 15 de junho de 2009.

Pe. Gisley foi assessor do Setor Juventude da CNBB e um dos principais provocadores para a criação da Campanha Nacional contra a violência e extermínio de jovens, promovida pelas Pastorais da Juventude e pautada hoje em todo o Brasil e no continente latino americano por diversas organizações e expressões juvenis.

O desejo da organização do evento é que a memória de Gisley, seu legado pela vida da juventude e no combate a toda forma de violência contra a juventude suscite o envolvimento das pessoas que irão peregrinar até a JMJ para um grande grito contra a violência e extermínio da juventude!

Serviço
Data: 22 a 26 de julho de 2013
Local: Galpão do Comitê Rio da Ação da Cidadania - Av. Barão de Tefé, 75 - Saúde - Rio de Janeiro/RJ
Contato e informações: tendadasjuventudesjmj@gmail.com
- Thiesco Crisóstomo: 94.8117.6210 – thiesco@gmail.com
- Joaquim Alberto: 61.9214.7664 – joaquimaasilva@gmail.com

FONTE: PJ Nacional - http://www.pj.org.br/noticias/1668

22 de junho de 2013

Nota da CNBB: "Ouvir o clamor que vem das ruas"


Os bispos manifestam "solidariedade e apoio às manifestações, desde que pacíficas, que têm levado às ruas gente de todas as idades, sobretudo os jovens". A presidência da CNBB apresentou a Nota em entrevista coletiva e o documento foi aprovado na reunião do Conselho Permanente concluída na manhã desta sexta-feira, 21 de junho.

Leia a Nota:

Ouvir o clamor que vem das ruas

Nós, bispos do Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-CNBB, reunidos em Brasília de 19 a 21 de junho, declaramos nossa solidariedade e apoio às manifestações, desde que pacíficas, que têm levado às ruas gente de todas as idades, sobretudo os jovens. Trata-se de um fenômeno que envolve o povo brasileiro e o desperta para uma nova consciência. Requerem atenção e discernimento a fim de que se identifiquem seus valores e limites, sempre em vista à construção da sociedade justa e fraterna que almejamos.

Nascidas de maneira livre e espontânea a partir das redes sociais, as mobilizações questionam a todos nós e atestam que não é possível mais viver num país com tanta desigualdade. Sustentam-se na justa e necessária reivindicação de políticas públicas para todos. Gritam contra a corrupção, a impunidade e a falta de transparência na gestão pública. Denunciam a violência contra a juventude. São, ao mesmo tempo, testemunho de que a solução dos problemas por que passa o povo brasileiro só será possível com participação de todos. Fazem, assim, renascer a esperança quando gritam: “O Gigante acordou!”

Numa sociedade em que as pessoas têm o seu direito negado sobre a condução da própria vida, a presença do povo nas ruas testemunha que é na prática de valores como a solidariedade e o serviço gratuito ao outro que encontramos o sentido do existir. A indiferença e o conformismo levam as pessoas, especialmente os jovens, a desistirem da vida e se constituem em obstáculo à transformação das estruturas que ferem de morte a dignidade humana. As manifestações destes dias mostram que os brasileiros não estão dormindo em “berço esplêndido”.

O direito democrático a manifestações como estas deve ser sempre garantido pelo Estado. De todos espera-se o respeito à paz e à ordem. Nada justifica a violência, a destruição do patrimônio público e privado, o desrespeito e a agressão a pessoas e instituições, o cerceamento à liberdade de ir e vir, de pensar e agir diferente, que devem ser repudiados com veemência. Quando isso ocorre, negam-se os valores inerentes às manifestações, instalando-se uma incoerência corrosiva que leva ao descrédito.

Sejam estas manifestações fortalecimento da participação popular nos destinos de nosso país e prenúncio de novos tempos para todos. Que o clamor do povo seja ouvido!

Sobre todos invocamos a proteção de Nossa Senhora Aparecida e a bênção de Deus, que é justo e santo.

Brasília, 21 de junho de 2013

Cardeal Raymundo Damasceno Assis
Arcebispo de Aparecida
Presidente da CNBB

Dom José Belisário da Silva
Arcebispo de São Luís
Vice-presidente da CNBB

Dom Leonardo Ulrich Steiner
Bispo Auxiliar de Brasília
Secretário Geral da CNBB

FONTE: CNBB Nacional
http://www.cnbb.org.br/site/imprensa/sala-de-imprensa/notas-e-declaracoes/12248-nota-da-cnbb-qouvir-o-clamor-que-vem-das-ruasq

Nota da Secretaria Nacional da PJ

Formação da PJ Regional Sul 3

Tanise Medeiros - Vicariato de Porto Alegre, 
Coordenação Regional da PJ

"O que a memória amou ficou eterno " (Adélia Prado)


Entre os dias 31 de maio e 02 de junho aconteceu na cidade de Santa Maria aconteceu a Formação Estadual da Pastoral da Juventude, importante momento da caminhada regional em que jovens das diferentes dioceses puderam se encontrar, cultivar a mística e a espiritualidade, rever a história da Pastoral da Juventude, refletir acerca de nossa identidade e reafirmar nosso jeito jovem de ser Igreja e de assumir o Projeto de Vida de Jesus Cristo.  Enfatizando nosso estado permanente de Missão e de Formação, buscamos, a partir da metodolodia VER - JULGAR - AGIR, retomar a caminhada de 40 anos da PJ no Brasil a partir da organização da juventude na Igreja e do contexto sócio-político, trazendo presente as temáticas dos Dias Nacionais da Juventude desde a década de 80, percebendo o processo construído aos longo destes anos. No sábado a tarde o momento foi de estudo Bíblico, onde, a partir de textos do Antigo e do Novo Testamento, retomamos o processo de opressão x libertação do povo de Deus e a pedagogia libertadora que nos apresenta o Projeto de Vida de Jesus Cristo, percebendo estes sinais de vida na sistematização dos princípios da Pastoral da Juventude. 

No sábado a noite, reafirmando nossa luta em defesa da vida da juventude, celebramos os/as Mártires da caminhada e fizemos memória às 242 vidas jovens ceifadas na tragédia da Boate Kiss no dia 27 de janeiro deste ano, iniciando nosso momento de oração em frente ao local da tragédia, lembrando também da realidade de morte que extermina diariamento no Brasil em média 50 jovens. Como sinal de vida nova, através dos símbolos de nossa caminhada, trouxemos presente os jovens e as jovens dos grupos de base, das coordenações paroquiais e diocesanas que no cotidiano das comunidades eclesiais protagonizam gestos pequenos e concretos para a construção da Civilização do Amor. Com a presença do Pe. Cristiano Quatrin, referencial do Setor Juventude da Arquidiocese de Santa Maria, celebramos na partilha do pão, a vida do Cristo no meio da juventude.


No domingo pela manhã, na oração inicial retomamos as inquietações sucitadas durante o sábado e o que nos ficou diante das reflexões. Em pequenos grupos sistematizamos os desafios e necessidades em nossa caminhada e reafirmamos a centralidade de nossa ação pastoral. Assumimos também a continuidade deste processo formativo a nível estadual para uma nova etapa que acontecerá em outubro. Esta etapa de formação foi momento de reconhecer-nos na caminhada histórica da PJ, relembrar pessoas importantes que ajudaram a construir esta história, aprofundar a análise da nossa realidade no tempo atual e reafirmar nossa identidade enquanto Pastoral da Juventude.  Foi tempo também de reavivar a esperança na continuidade da caminhada e encontrar no outro e na outra companheiros e companheiras que partilham junto do mesmo caminho e da mesma fé no Jesus Libertador. 


DEPOIMENTOS

"O fim de semana de formação em SM foi de grande amadurecimento por minha parte e acredito também aos demais. A proposta dos assessores de retrospectiva fez com que pudéssemos entender parte da nossa trajetória até hoje. Isso foi importantíssimo, porque nossa identidade como Pastoral da Juventude se fortaleceu de forma marcante. Mas acima de tudo, fez com que tivéssemos consciência de que devemos participar desta história/trajetória e não ser apenas espectadores dela. Os irmãos novos de caminhada criados pela diversidade das dioceses, a Celebração dos Mártires, tudo isso também com certeza me fizeram apostar cada vez mais na PJ, e de como fazer parte dela é desafiante e fundamental para a construção do Reino." (Jaqueline de Oliveira - Diocese de Novo Hamburgo)

"Em dois dias pude me reencontrar com uma Pastoral da Juventude que parecia distante, silenciada,  e principalmente, pude me reencontrar como parte dela, tarefa que se faz difícil em meio a um turbilhão de fatos que trazem em si uma "amnésia obrigatória". Quando a memória falha, é difícil enxergar futuro. Nesse sentido, sinto que todos demos um imprescindível passo, recordando a caminhada que nos formou, relembrando nossas bandeiras e nossa mistica, e principalmente, reafirmando nossa identidade e o projeto de Jesus Libertador que nos guia. Eduardo Galeano sentenciou: "A memória sabe de mim mais que eu; e ela não perde o que merece ser salvo", e em momentos em que identidade é considerada heresia, a resistência é ainda mais mistica." (Juliano Colla - Diocese de Uruguaiana)

"A Formação Regional da PJ, que aconteceu neste final de Semana em Santa Maria foi um encontro em que estudamos a nossa história, fortificamos a nossa identidade, nossa espirituaidade e nossas lutas. Além do estudo, marcam também as amizades, a dança, a Eucaristia. Sigamos no compromisso de dar nosso testemunho e por em prática no grupo de base e na comunidade, pois somos pejoteiros porque acreditamos no Projeto de Jesus." (Josielli Lazzarotto - Arquidiocese de Passo Fundo)

"Participar da formação da PJ do RS é reafirmar nossa causa. Ver nossa história, analisar o tempo que vivemos e assim, ver sempre mais como os trabalhos não acontecem com grandes eventos e sim na base. Lutando pela defesa da vida, e da vida em abundância reafirmamos que somos Pastoral da Juventude e que outro mundo é possível. Juntos e juntas construindo a civilização do amor!
Muito axé sempre!" (Gabriele Remus Santolin – Diocese de Erexim)

10 de maio de 2013

Formação Regional da PJ

Quando? 31/05, 01 e 02/06/2013
Horários? 31/05 às 19h até 02/06 às 12h.
Local? Centro de Pastoral - R Professor Braga 108 - 1 - Centro - Santa Maria - RS 
Investimento? R$ 40,00 (Este valor poderá ser reduzido, uma vez que a equipe está buscando apoio via projetos junto a algumas congregações). 
O que levar? Colchonete, roupas de cama, material de higiene, material de anotação, caneca, símbolos da PJ na diocese.
Mais informações/Inscrições: com a coordenação da PJ de sua (Arqui)Diocese ou Vicariato.















9 de maio de 2013

Pastoral da Juventude em formação!

A Pastoral da Juventude da Diocese de Santo Ângelo está realizando uma rodada de cursos de formação pela Diocese através do CTLJ (Curso de Treinamento para Lideranças Jovens). Este curso acontece em três etapas. Distribuídas nos métodos VER – JULGAR – AGIR.

A primeira etapa foi realizada nos dias 06 e 07 de abril em Cerro Largo, onde participaram 41 jovens das Paróquias de Cerro Largo, Caibaté e Guarani das Missões.  Nos dias 13 e 14 de abril se reuniram 35 jovens em Campina das Missões, do qual participaram jovens das paróquias de Campina das Missões e Cândido Godói.  Nos dias 20 e 21 de abril na Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora de Santa Rosa também foi realizada a primeira etapa, da qual participaram 40 jovens das paróquias de Nossa Senhora Auxiliadora e Sagrada Família de Santa Rosa, Alecrim, Paróquia Santo Antonio se Santo Ângelo, Porto Lucena e Santo Cristo.

A assessoria dos cursos foi realizada pela coordenação diocesana da PJ e por seus assessores.

Santa Rosa – Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora

Campina das Missões – Paróquia Nossa Senhora do Bom Conselho

Cerro Largo – Paróquia Sagrada Família de Nazaré

4 de maio de 2013

CEBs e Juventudes

Neste ano, a Arquidiocese de Porto Alegre irá celebrar o 27º Encontro Arquidiocesano de CEBs, no município de Porto Alegre. O subsídio "CEBs e Juventudes", como um instrumentos de preparação e mobilização pra a juventude no Encontro. Acesse o material pelo link: http://migre.me/epfFq


12 de abril de 2013

CRPJ Sul 3 se reuniu em Carazinho

A Coordenação do Regional Sul 3 da Pastoral da Juventude (CRPJ Sul 3) se reuniu nos dias 5, 6 e 7 de Abril em Carazinho, Arquidiocese de Passo Fundo. Houve momentos de partilhas das dioceses e reflexões, que contribuíram nos encaminhamentos das demandas que temos para a juventude do RS. Todas as Províncias Eclesiásticas do Regional Sul 3 da CNBB estavam representadas, somando cerca de 10 Dioceses no encontro. As demais, por atividades com os grupos de base, não puderam se fazer representadas, mas se mantiveram em sintonia.



Durante a reunião, cada Diocese partilhou suas atividades e assim foi possível perceber a diversidade e as belezas que temos espalhadas pelo Estado. Conversamos sobre nossa presença na JMJ, no Pré-Intereclesial das CEB’s, na 5º Semana Social Brasileira, no 19º Grito dos Excluídos, entre tantas outras atividades. Também definimos data e local para a Ampliada da PJ do Regional Sul 3! Santa Maria nos acolherá entre os dias 19 e 22 de setembro para assim planejarmos os dois próximos anos da PJ enquanto organização Regional.

Participamos, também, de atividades com o grupo JOSA (Jovens Orando, Sonhando e Agindo) de Carazinho. Celebramos a Eucaristia com a Comunidade local e confraternizamos uma janta com o povo da Paróquia São José, mostrando assim que “somos gente nova vivendo o amor, somos comunidade, povo do Senhor”.



Encerramos a reunião, no domingo, ao meio-dia com o compromisso de levar a semente adiante. Plantar nas bases, cuidar dos frutos... Sabemos que a missão é grande, que é necessário descer a montanha e assim voltamos para as nossas Dioceses, com esperanças e alegrias, pensando e articulando em nossas bases.

Muito axé para todos e muita força na caminhada!

Gabriele Remus Santolin – CR pela Diocese de Erexim



14 de março de 2013

Somos Igreja Jovem: 40 anos construindo a Civilização do Amor

O que a memória amou, ficou eterno (Adelia Prado).

Em 1973, 40 anos atrás, a Pastoral da Juventude dava sinais das suas primeiras articulações em nível nacional. Neste mesmo ano, aconteceu o 1º Encontro Nacional da Pastoral da Juventude, com o objetivo de reunir e partilhar experiências com grupos de jovens nas comunidades de várias regiões brasileiras, e, dessa forma, construir a Pastoral da Juventude do Brasil. E assim começa uma história de muitas lutas, utopias, amizades, formação e mística. Igreja, assessores, jovens protagonistas, que acreditavam e continuam acreditando no Projeto de Jesus, desde o início da caminhada da PJ têm a opção preferencial pelos jovens e pelos pobres e há 40 vêm construindo a Civilização do Amor. 

Foto: Tiago Gerff

Para celebrar essa história e reafirmar a identidade da Pastoral da Juventude e sua opção pela evangelização a partir dos grupos de jovens, aconteceu nos dias 9 e 10 de março, na cidade de São Leopoldo, na rede de comunidades São João Batista, um seminário de abertura do ano celebrativo.  O encontro foi pensado pela Coordenação Nacional da Pastoral da Juventude, juntamente com a Comissão Nacional de Assessores. Os jovens da Diocese de Novo Hamburgo também foram parceiros na organização. 

Na tarde do sábado os jovens – cerca de 250 – de vários rostos e lugares começaram a chegar ao local do encontro, sendo acolhidos com muita alegria em uma escola próxima à paróquia. Na oportunidade, Dom Antônio Carlos Altieri, Arcebispo de Passo fundo e referencial da juventude no Regional Sul 3 da CNBB, compareceu para deixar sua mensagem à juventude, falando sobre a importância de termos a coragem para assumirmos o Projeto de Jesus. Padre Hilário Dick também acolheu e foi acolhido pelos jovens. Oficinas formativas, lúdicas e culturais finalizaram a tarde do sábado.

No sábado à noite, a juventude participou com a comunidade de uma missa presidida por Dom Sinesio Bonh, para celebrar e rezar os 40 anos de caminhada. A presença da comunidade significou a atuação que a PJ tem nesses espaços de base, onde estão os grupos de jovens. Foi um momento de agradecer a Deus por tanta vida gerada na caminhada da PJ. Na celebração, também foi lançado o Selo Comemorativo, uma bonita figura, contendo elementos que representam a identidade da PJ, a sua história e o seu presente. Depois da celebração, aconteceu uma bonita festa, onde o grupo tradicionalista Sepé Tiaraju, da comunidade, fez sua apresentação, e a juventude pode dançar e expressar sua felicidade.



O seminário teve continuidade na manhã do domingo, onde o nome dos grupos de base foram partilhados durante a recordação da vida.   Na composição da mesa, a jovem Josieli Lazzarotto, da Arquidiocese de Passo Fundo, Dom Sinésio, Pe. Hilário e Thiesco Crisóstomo, Secretário Nacional da PJ, foram convidados a partilhar suas experiências com a Pastoral da Juventude, desde o seu nascimento até os seus atuais desafios na evangelização da juventude.

Assim foi a abertura do ano comemorativo aos 40 anos de articulação da PJ no Brasil. A esperança de que a PJ continuará lutando pela vida da juventude, organizada em grupos de jovens, nas comunidades de base, criando laços fraternos e sonhando e construindo a Civilização do Amor com protagonismo juvenil, pôde ser sentida em cada jovem que estava lá. 

Muita vida aconteceu ao longo da história da PJ, um caminho já trilhado por muitas pessoas, e que hoje nós também estamos construindo e vivendo! 

Abençoados e abençoadas através das palavras de D. Sinésio, seguimos para o solo sagrado das nossas dioceses: “A Pastoral da Juventude do Brasil está abençoada!”

Josieli Lazzarotto
PJ Arquidiocese de Passo Fundo,
pela Coordenação Regional da PJ

Foto: Tiago Greff

11 de março de 2013

Atividades Permanentes das Pastorais da Juventude

As Atividades Permanentes são o conjunto de ações, mobilizadas pelas Pastorais da Juventude do Brasil (Pastoral da Juventude, Pastoral da Juventude Estudantil, Pastoral da Juventude Rural e Pastoral da juventude de Meio Popular) em defesa da vida da juventude. A exemplo de Jesus construímos um caminho missionário em defesa da vida. São momentos de oração, partilha, debate, luta e festa protagonizados por diversos grupos de jovens organizados em espaços eclesiais, escolares, rurais e populares de todos os cantos do Brasil.

É um processo desenvolvido durante todo o ano. Tem caráter ecumênico e missionário, sendo assim, busca ir ao encontro dos/as jovens empobrecidos/as onde eles/as se encontram, nas realidades de dor e sofrimento tão comuns na vida da juventude, reafirmando assim, o compromisso tão ousado e teimoso das Pastorais da Juventude do Brasil no seguimento de Jesus Cristo e no cuidado com a vida dos/as jovens e dos/as pobres.

Para o triênio 2012-2014 as Atividades Permanentes terão como eixo norteador a expressão: A defesa da vida na construção da Civilização do Amor. Em 2013, as propostas temáticas das Atividades Permanentes são iluminadas pelas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil 2011-2015, pela Campanha da Fraternidade 2013, pela celebração de abertura dos 50 anos do Concílio Ecumênico Vaticano II e pelo Ano da Fé. Também estão em sintonia com a preparação da Jornada Mundial da Juventude, com o documento do CELAM (Conselho Episcopal Latino Americano e Caribenho) “Civilização do Amor – Projeto e Missão” e o Projeto de Revitalização da PJ Latino Americana que neste ano motivará a vivência mística do lugar bíblico de Betânia.

Sendo assim, seguem abaixo as informações gerais sobre cada atividade permanente:

Semana da Cidadania
Tema: Juventude: Vidas pela Vida
Lema: Pastorais da Juventude contra a redução da maioridade penal

A Semana da Cidadania (SdC) que normalmente se realiza de 14 a 21 de abril, abordará uma realidade que está em pauta em nossa sociedade:a  redução da maioridade penal. Reduzir a idade penal atinge a vida da juventude e fere muitos de nossos valores cristãos em defesa da vida, dessa forma nos posicionamos contra a redução na maioridade penal, na luta pela vida da juventude.

Neste ano em que a Campanha da Fraternidade trabalhará o tema: Fraternidade e Juventude, queremos evidenciar ainda mais a defesa da vida, dizendo não à redução da maioridade penal, por entendermos que esta mudança na lei permitirá que mais vidas sejam comprometidas em sua formação integral.

Semana do Estudante
Tema : Juventude e Educação
Lema : Juventude do campo e da cidade, na luta pela educação que queremos.

A Semana do Estudante (SdE) que compreende o dia do estudante 11 de agosto, esse ano acontecerá de 5 a 11 de agosto, pautará a educação que é oferecida para a juventude brasileira e quais os modelos de educação acreditamos e defendemos, garantia de dignidade para a juventude!

Dia Nacional da Juventude
Tema: Juventude e missão
Lema: Jovem: levante-se, seja fermento! 
Iluminação: "quanto a você, arregace as suas mangas, levanta-se e diga a eles tudo que eu mandar. Não tenha medo" -Jeremias 1, 17b

O Dia Nacional da Juventude, que normalmente acontece sempre no último domingo do mês de outubro, esse ano acontecerá no dia 27/10. A atividade irá propor aos/as jovens, a exemplo de Jesus Cristo, o caminho para ir ao encontro dos/as dos/as empobrecidos/as e excluídos/as, transformando corações para transformar o mundo.

A proposta temática do DNJ 2013 e seus materiais foram construídos em conjunto com as Pastorais da Juventude, movimentos juvenis, novas comunidades e congregações que trabalham com jovens, por promoção da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB.


Neste ano em que a juventude é tema principal em várias atividades de nossa Igreja, a Pastoral da Juventude deseja que as Atividades Permanentes possam proporcionam momentos de escuta da realidade do/a jovem, nos ajudando a caminhar na mística de Betânia vivenciando e saboreando da vida em plenitude.

FONTE: PJ Nacional

7 de março de 2013

Juventude na 5ª Semana Social Brasileira

A coordenação da 5ª Semana Social Brasileira divulga mais um vídeo com o objetivo de mostrar o rosto jovem do Brasil. O vídeo pode ser visto no seguinte link: https://www.youtube.com/watch?v=3d9TSQWO3cQ.



Com uma população estimada em cerca de 53 milhões de habitantes, a juventude brasileira é parte essencial para a mudança das realidades que se buscam para um mundo melhor e mais justo.

"Muitos de nós estamos inseridos/as em diversas frentes de luta por questões relevantes para a juventude brasileira, mas é necessário provocar nos jovens o desejo especial por participar desta 5ª SSB, pois ela nos ajuda a aprofundar o que parece ser mais essencial, que é a discussão e a possibilidade de construção de um novo Estado. Precisamos compreender nosso papel fundamental no futuro, mas também no presente da sociedade brasileira, construindo juntos/as este novo jeito”, convoca o folder da Semana.

Com base nos problemas enfrentados pelos jovens de todo o Brasil é que a 5ª SSB quer trazer para o debate o que vem sendo construído nos mais variados campos de organização promovidos pelas juventudes. Neste sentido, o vídeo quer mostrar a cara dos jovens, como eles se organizam e o que fazem participar de processo políticos e de transformação dos modelos que geram a morte de jovens.

De acordo com a organização da 5ª SSB os/as jovens devem ser entendidos/as também como sujeitos/as protagonistas da construção de uma sociedade de fato fraterna, justa e solidária. A parcela que mais sofre é a juventude, pois vive uma situação de desemprego, precarização do trabalho, educação precária, violência e extermínio, predominantemente a negra.

Nesse contexto, o maior responsável por essa situação que se encontra a juventude é o modelo desenvolvimentista implantado no Brasil, cujas bases encontram-se no modelo de produção e consumo capitalista-imperialista.

"Este modelo está baseado na acumulação do capital, especialmente pelos bancos e multinacionais, que aliados aos governos, promovem voraz ataque às riquezas e ao território, provocando injustiças socioambientais e o empobrecimento da juventude rural e urbana, em especial os jovens negros, mulheres e indígenas. Sabemos que o governo brasileiro tem avançado quando se trata de Juventude. Conseguimos, ao longo dos últimos anos, grandes conquistas, que só foram possíveis com a mobilização das organizações juvenis de todo o país”, expressa o material da Semana.


5ª Semana Social Brasileira
A 5ª SSB é um processo nacional que está em curso desde 2011 em todo o Brasil e promove a participação ampla de pessoas e entidades, a abertura ao ecumenismo e diálogo inter-religioso, o pluralismo de ideias e valores, o exercício do debate democrático em todas as instâncias e o ensaio coletivo de iniciativas transformadoras.

Agenda Juventude

  • 2013: Campanha da Fraternidade "Fraternidade e Juventude”;
  • Primeiro semestre de 2013: Seminários e Semanas Sociais Regionais;
  • 23 a 28 de julho: Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro;
  • 02 a 05 de setembro de 2013: Semana Social Brasileira, a nível nacional.


Mais informações acessar: www.semanasocialbrasileira.org.br.

FONTE: PJ Nacional

23 de fevereiro de 2013

Abertura da celebração dos 40 anos

Seminário marcará a abertura da celebração dos 40 anos da Pastoral da Juventude



A abertura do ano celebrativo dos 40 anos da PJ acontecerá durante a reunião da Coordenação Nacional da PJ, com a realização de Seminário refletindo sobre o caminho trilhado pela PJ nesses 40 anos de evangelização juvenil.

A atividade acontecerá nos dias 9 e 10 de março de 2013, na cidade de São Leopoldo/RS, na Paróquia São João Batista. Na ocasião também será lançado o Selo Comemorativo em vista da celebração dos 40 anos da PJ.

O Seminário terá início na tarde do dia 9/3 e terá seu encerramento com o almoço do dia 10/3. Na programação da atividade está prevista a realização de oficinas temáticas, rodas de conversas, mesa de debate e celebrações.

A atividade é aberta a todos que desejarem participar. Porém, as vagas serão limitadas e sujeitas à confirmação posterior. A inscrição será simbólica, no valor de R$ 5,00. Para enviar sua inscrição, basta acessar o link e preencher o formulário: http://migre.me/dn4ZI.

Informações sobre a atividade ou o processo de celebração poderão ser obtidas pelo e-mail: secretarianacional@pj.org.br ou na página www.pj.org.br.
         
A Pastoral da Juventude convida para que possamos construir juntos e juntas este belo caminho de vida, história e celebração!

FONTE: PJ Nacional

21 de fevereiro de 2013

"É tempo de celebrar...": Pastoral da Juventude inicia celebração de 40 anos

“O que a memória amou, ficou eterno”
Adélia Prado



Diante do caminho já trilhado, das opções feitas ao longo da existência da Pastoral da Juventude, do momento vivido pela Igreja do Brasil e da oportunidade de celebrar uma data tão significativa: o jubileu de 40 anos da PJ no Brasil! A Coordenação Nacional da PJ, juntamente com a sua Comissão Nacional de Assessores acredita e propõe a celebração dos 40 anos das primeiras articulações da Pastoral da Juventude no Brasil. As comemorações contarão com iniciativas, atividades e ações que desencadearão processos significativos na vida e na caminhada dos jovens organizados como PJ e tantos outros que poderão fazer parte desta bela festa de vidas, histórias e comunhão.

A celebração proposta tem como objetivo fortalecer o processo de evangelização juvenil protagonizado pelos grupos de jovens organizados em todo o Brasil por meio da celebração dos 40 anos da PJ. Deseja, ainda, celebrar nos mais diversos espaços e âmbitos os 40 anos das primeiras articulações da PJ no Brasil; retomar e potencializar os processos construídos pela PJ ao longo da história, ressignificando-os a partir do contexto atual; e fortalecer a identidade e caminhada da Pastoral da Juventude.

Caminho a ser percorrido
A proposta da Coordenação Nacional da PJ é que o caminho de celebração aconteça durante o período de março de 2013 a janeiro de 2104 e perpasse alguns processos e atividades que acontecerão no Brasil.
De forma intensa, permeará a celebração dos 40 anos da PJ o processo de estudo do subsídio “Somos Igreja Jovem: nosso jeito de ser e fazer”, lançado em janeiro de 2012, durante o Encontro Nacional da PJ, ocorrido em Maringá/PR. Este processo de estudo da publicação, visa, sobretudo, aprofundar a proposta da PJ nos mais diversos âmbitos e especificidades, envolvendo um número significativo de pessoas de forma participativa e colaborativa.

A Coordenação Nacional e Comissão Nacional de Assessores da PJ organizarão, ao longo ano, algumas atividades e ações em âmbito nacional, como por exemplo: Criação de selo comemorativo e peças de comunicação; festival de música, arte e poesia; produção de cds com as músicas mais cantadas pela juventude Pjoteira, principais hinos das atividades, novas músicas; publicações de materiais com artigos sobre a caminhada da PJ no Brasil; documentário sobre a caminhada da PJ no Brasil; e seminários e/ou encontros dos projetos nacionais. Também serão organizados roteiros de encontros e ofício divino da juventude, para colaborar na dinamização e envolvimento dos grupos de jovens em vista da celebração dos 40 anos da PJ. Existe a indicação para que sejam fomentadas ações e atividades em todos os níveis da organização (regional, diocesano, paroquial, comunitário).

É tempo de celebrar...
No ano de 2013 a juventude é pauta para grande parte da sociedade, de maneira especial para a Igreja do Brasil. Muitos serão os espaços que refletirão a temática juvenil. Momentos que possibilitarão um olhar para a realidade da juventude brasileira.
Ao longo da história da evangelização da juventude no Brasil, muitas organizações têm contribuindo de forma significativa, dentre elas e de maneira especial, podemos destacar a trajetória da Pastoral da Juventude (PJ). Com sua proposta de ação junto às juventudes engajadas especialmente nas comunidades eclesiais de base da Igreja Católica a PJ há décadas organiza jovens em pequenos grupos de base, dinamizados por suas coordenações comunitárias, paroquiais, diocesanas, regionais e nacional, sendo acompanhados por assessores adultos, dentre eles: leigos, leigas, religiosos, religiosas, padres e bispos.
Segundo o Marco Referencial das Pastorais da Juventude do Brasil, as primeiras tentativas de articulação em nível nacional se deram no período de 1973 a 1978, promovidas pela própria CNBB com o objetivo de reunir as experiências de PJ esparsas pelo Brasil. Em 1973, no Rio de Janeiro aconteceu o Primeiro Encontro Nacional da PJ. Em 1976, também no Rio de Janeiro, aconteceu o Segundo Encontro Nacional da PJ. Estes dois primeiros encontros reuniram pessoas com prática de PJ, para refletir a situação e buscar caminhos de organização.
Os grupos de base, opção fundamental de organização da PJ, acreditam em uma atuação diferenciada na Igreja e na sociedade, fundamentada em características e metodologias próprias. Dentre elas destacam-se: seguimento a Jesus Cristo, opção preferencial pela juventude empobrecida, protagonismo juvenil, clareza da necessidade de um processo eficaz de educação na fé, compromisso com a formação integral dos jovens, ação inculturada na vida da juventude, aprofundamento do diálogo ecumênico e inter-religioso, entre outras características.

Programação
Seguem abaixo, algumas atividades e processos que acontecerão durante o período da celebração e que serão espaços propícios para o envolvimento neste processo comemorativo:

  1. Abertura do ano Celebrativo: Seminário Nacional nos dias 09 e 10 de março de 2013, em São Leopoldo/RS, na sede da Trilha Cidadã, com o lançamento do Selo Comemorativo dos 40 anos.
  2. Campanha da Fraternidade 2013.
  3. Semana da Cidadania - SdC, 14 a 21 de abril de 2013.
  4. Seminário Nacional "Campanha contra a violência e o extermínio de Jovens”, de 03 a 05 de maio de 2013, em Brasília/DF.
  5. Semana Missionária, nos dias 16 a 20 de julho de 2013, em todas as dioceses do Brasil.
  6. Jornada Mundial da Juventude, de 23 a 28 de julho de 2013, no Rio de Janeiro/RJ.
  7. Semana do/a Estudante - SdE, 05 a 11 de agosto de 2013.
  8. Dia Nacional da Juventude - DNJ, 27 de outubro de 2013.
  9. 13º Intereclesial das CEBs, de 07 a 11 de janeiro de 2014, no Crato/CE.
  10. Encerramento do Ano Celebrativo: Ampliada Nacional da Pastoral da Juventude, nos dias 19 a 26 de janeiro de 2014, em Belo Horizonte/MG.


Informações sobre a atividade ou o processo de celebração poderão ser obtidas pelo e-mail: secretarianacional@pj.org.br ou na página www.pj.org.br.

FONTE: Site PJ Nacional

19 de fevereiro de 2013

CARTA DA 36ª ROMARIA DA TERRA


Tema: TERRA, VIDA E CIDADANIA
Lema: Terra e Cidadania, princípios do Bem Viver


Em cada Romaria da Terra, sempre tem uma palavra de acolhida, com muitas ideias e temas para debater antes, durante e depois. E no final da Romaria também sempre vai uma palavra companheira para acompanhar o povo romeiro e lembrar que é preciso continuar a caminhada de fé e esperanças, de sonhos e de lutas em favor da vida.

E aqui vai uma palavra inspiradora, a Carta da 36ª Romaria da Terra, que romeiros e romeiras, como Povo de Deus, levam para suas Comunidades. Nessa Carta vai o afeto, a ternura, a graça e a paz de Jesus Cristo que vivenciamos nesta Romaria, uma experiência de fé que nos anima a continuar testemunhando o bem viver, defendendo a Terra, a Vida e a Cidadania.

Estamos em Bento Gonçalves, Serra Gaúcha, terra prometida de muitos migrantes, aqui nos reunimos partilhando o pão e o vinho e celebramos nossa caminhada, reafirmando os princípios do bem viver e nossas convicções na construção de uma sociedade justa, solidária e sustentável.

A TERRA é sagrada, lugar de convivência, onde acontecem as relações de vida, trabalho e cidadania entre pessoas e a natureza. Denunciamos a sua concentração, o agronegócio, a violência no campo, o trabalho escravo, o envenenamento da terra, da água e das pessoas, a destruição da biodiversidade, o monopólio das sementes e da tecnologia e a falta de políticas públicas adequadas para a agricultura familiar e camponesa. Por isso, reafirmamos nosso compromisso de lutar pela partilha da terra e pela reforma agrária, transformando a terra num meio de produção agroecológico, onde as boas práticas agrícolas e de consumo sejam assumidas e respeitadas e, um dia, verdadeiramente livre dos venenos e da ambição do latifúndio e do agronegócio.

A VIDA é o grande milagre do nosso Deus Criador, Libertador e Doador dos Dons de justiça, paz e sustentabilidade. Por isso, denunciamos a degradação da vida, o individualismo, o envenenamento e a destruição dos recursos naturais. Assumimos o desafio de promover,preservar, defender, cuidar e celebrar a vida em todas as suas formas e possibilidades, viver e deixar viver.

A CIDADANIA é um desafio constante, uma construção da vida toda que nunca esta completa, sempre carregada de beleza e de compromissos com as causas da libertação e da liberdade, da dignidade, da justiça e do bem comum. Denunciamos os meios que não geram cidadania plena como: as opressões, os monopólios econômicos e políticos, a politicagem, as injustiças, a negação dos direitos e da liberdade. Assumimos a promoção da cidadania permanente, solidária, ativa, autora e transformadora gerada a partir da cooperação, da solidariedade, da terra, do cuidado e da participação plena e efetiva de todas as pessoas nos processos decisórios da vida em sociedade.

Saímos dessa 36ª Romaria da Terra, com o desejo mais forte de viver o exemplo do jovem Jesus de Nazaré, nosso Deus que se fez cidadão do mundo. E, hoje, com sua Palavra, nos desafia e nos fortalece para o resgate da cidadania do bem viver, onde a Vida na Terra seja plena de justiça e paz.

Bento Gonçalves, 12 de fevereiro de 2013.

FONTE: Blog da CPT-RS


36ª Romaria da Terra mobiliza milhares de pessoas

por Marcelo Soares de Moura

Aproximadamente 12 mil pessoas participaram da 36ª Romaria da Terra em Bento Gonçalves nesta terça-feira de carnaval, na sede da ABCTG (Associação Bentogonçalvense da Cultura Tradicionalista Gaúcha). Organizada pela diocese de Caxias do Sul, paróquia Santo Antônio de Bento Gonçalves, CNBB Sul 3 e Comissão Pastoral da Terra (CPT/RS), a romaria teve como tema “Terra, vida e cidadania” e o lema “Terra e cidadania: princípios do bem querer”. Os romeiros e romeiras foram recepcionados por muita animação e durante a romeira receberam pães, uvas, ameixas e outras frutas, simbolizando a produção de alimentos saudáveis, sem venenos. Além da tradicional presença do ex-governador Olívio Dutra, a Romaria também contou com a participação do governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, que ouviu dos romeiros o pedido de mais atenção à agricultura familiar. (CPT-RS – cptdors.blogspot.com/)                

“A Romaria da Terra promove a cidadania constante, permanente, solidária, ativa, transformadora!” (Olívio Dutra)

CARTA DO ACAMPAMENTO JOVEM AOS ROMEIROS

Neste feriado de carnaval, nós jovens do Rio Grande do Sul que somos compromissados com os valores e as causas da Mãe-Terra, fonte de vida e sustento, estivemos reunidos em Garibaldi para anunciar as graças de Deus com seu Povo, e denunciar aquilo que nos oprime. Da preparação da equipe da Diocese de Caxias do Sul à acolhida dos 200 jovens de 50 outras cidades e ao desfecho dessa Romaria, vivenciamos o cuidado com a Terra, a Vida e a Cidadania. A cada discussão, refletimo-las em nossos atos. Uma juventude orante, lutadora, clamante, denunciadora e testemunha do Evangelho, ansiada para que o Reino de Deus faça-se na Terra, conforme a sua vontade.

O encontro foi pensado e feito da juventude para a juventude, a partir de movimentos populares e pastorais – com ênfase ao trabalho das Pastorais da Juventude. Iniciamos no domingo, com os corações cheios de vida e alegria, uma oração inspirada na criação de Deus: sua natureza é tão bela, fecunda e renovadora, mas é também tão frágil e pode ser destruída pelo homem ao faltar amor às coisas do Pai. A realidade vivida no Acampamento foi a do cuidado, da alegria, do amor e dos compromissos com a natureza e com os irmãos. Desde os alimentos orgânicos, a separação do lixo e a reutilização de descartáveis aos abraços, músicas, danças e oração, vivemos como queremos e sonhamos a Civilização do Amor, por toda a Terra. Diferente da proposta do atual sistema neoliberal.

Na segunda-feira, desde as seis e meia da manhã, interagimos com a natureza e celebramos a grande obra do Pai. Contemplamos a importância histórica da Romaria da Terra, dedicada não apenas para agradecer, como também denunciar, como jovens, as injustiças que nos angustiam. Entendemos a proposta do tema desta Romaria: “Terra, Vida e Cidadania”. Aprofundando, à tarde, cada uma dessas temáticas em oficinas, para apontarmos quais males nos afligem e o que devemos anunciar. Discussões sobre teologia da terra, agricultura familiar, sustentabilidade, economia solidária, justiça sócio ambiental e a juventude rural na temática da Terra; consumo consciente, soberania alimentar, projeto de vida, mobilidade humana e ética do cuidado foram as oficinas sobre a Vida; e juventude e o mundo do trabalho, políticas públicas de juventude, juventude e violência, reciclagem e o feminino da terra levaram à discussão de Cidadania.

Após as discussões nos pequenos grupos, partilhamos com todos os jovens do Acampamento e agora com os Romeiros da Terra. Nossas poucas luzes de anúncios perto do número de denúncias, infelizmente dificultam a visão do Reino dos Céus entre nós. Porém, não desanimamos nessa luta, glorifiquemos o que o homem tem feito, eis que a nossa juventude gaúcha anuncia:

“Anunciamos que o ser humano É TERRA, ESTÁ NA TERRA e como todo ser vivo DEPENDE DA TERRA!
“Anunciamos a agricultura familiar, ecológica e alimentar!”
“Anunciamos a legitimidade da desobediência civil quando pautada no valor central da vida!”
“Anunciamos a reciclagem, a economia solidária, os projetos alternativos, o cooperativismo e a maior participação da mulher na produção!”
“Anunciamos a Campanha das Pastorais da Juventude do Brasil contra a Violência e o Extermínio de jovens!”
“Anunciamos que a terra é criatura divina, é sagrada e pertence somente a Deus!”

E como nosso dever de cidadãos e jovens cristãos que assumem o compromisso de seus batismos, denunciamos no meio de algumas luzes, coisas que nos impedem de ver com total claridade:

“Denunciamos a resistência ao debate sobre protagonismo juvenil nos espaços eclesiais, sociais e familiar!”
“Denunciamos os pensamentos que mantém as opressões e desigualdades de gênero, raça e etnia!”
“Denunciamos a exploração do capitalismo, do sistema neoliberal, sustentado pelo lucro, pelo individualismo e causador das crises que matam os desfavorecidos!”
“Denunciamos a falta de cuidado com o dom da vida e a omissão política diante desses fatos!”
“Denunciamos os agrotóxicos que matam a saúde da terra e do homem!”
“Denunciamos o agronegócio que faz da terra de Deus uma mercadoria!”
“Denunciamos o êxodo rural forçado pela sociedade que somente visa o lucro e não o bem-viver!”
“Denunciamos o desmatamento frenético e que simboliza a morte de nossos ecossistemas!”
“Denunciamos a falta da Reforma Agrária!”
“Denunciamos o consumismo, a valorização do ter, e não do ser e a manipulação da mídia para sustentar o sistema!”
“DENUNCIAMOS A MORTE DA JUVENTUDE!”
“Denunciamos o mal que fizemos à terra e a nós mesmos, ESTAMOS MATANDO QUEM NOS SUSTENTA!”
“DENUNCIAMOS A OPRESSÃO AO POVO DE DEUS!”
“DENUNCIAMOS A AGONIA DO PLANETA!”

Irmãos e irmãs, nós jovens saímos da Romaria da Terra incomodados e provocados a construir o Reino de Deus. A Mãe-Terra nos dá a vida, a Mãe-Terra hoje agoniza! Não nos calemos diante disso! Clamemos ao nosso Deus que luta conosco, pelos nossos direitos e pela sua criação!


Jovens Romeiros e Romeiras do Reino - Acampamento Jovem da 36° Romaria da Terra do RS.

“Bendita e louvada seja esta santa romaria;
Bendito o povo que marcha;
Bendito o povo que marcha, tendo Cristo como guia.”

Aconteceu de 10 á 12 de fevereiro, nos pavilhões da Fenachamp na cidade de Garibaldi, o acampamento jovem da 36° Romaria da Terra do RS. Foram dias de muita alegria, partilha, estudos e muita convivência, éramos mais de 170 jovens vindos/as das diversas dioceses de nosso Regional.

Nem as tardes quentes, nem a forte chuva e o friozinho da serra conseguiram desanimar as juventudes ali presente, era intenso o desejo de [re] encontro, o desejo de se conhecer e de celebrar este evento tão importante de nossa igreja; os acampamentos das Romarias da Terra já se tornaram um espaço muito importante pras juventudes de nosso estado, momento em que os/as jovens do campo e da cidade se encontram para refletir as sempre oportunas temáticas trazidas pelas romarias, celebrar a realidade campesina e mais do que tudo criar laços de amizades.

Nesta 36° edição a romaria teve como tema: Terra, Vida e Cidadania e lema: Terra e cidadania: princípios do Bem Viver.

Nós tivemos a oportunidade de fazer uma memória histórica das Romarias da Terra e conhecer suas varias características: sua mística, seu caráter social, as lutas do povo do campo, as diversas temáticas e como elas transformaram a realidade do povo por onde passou.  A jovem Jaiane Kroth (Leiga, estudante de Teologia e Militante da Pastoral da Juventude) nos ajudou a  refletir e conhecer um pouco mais sobre os princípios do Bem Viver e como se faz urgente uma mudança no jeito em que vivemos, nos relacionamos e tratamos a Mãe Terra. Ela também nos motivou a fazermos um compromisso com a Terra, cada jovem que se sentisse realmente  motivado/a a firmar esse compromisso foi convidado a amarrar uma fitinha marrom no pulso de outro/a jovem como sinal comunitário de aliança. “Lembras que és terra, e a terra retornarás!”

Além disso, foi muito importante nossa participação nas varias oficinas que foram norteadas pelos eixos temáticos: Terra, Vida e Cidadania, e nos propiciou um maior aprofundamento e pertencimento dos diversos temas, como por exemplo: Juventude e Trabalho; Ética do Cuidado; Escola de Jovens Rurais; Economia Popular Solidaria e Cooperativismo; A Teologia da Terra, Reciclagem, e outras.

Um dos Momentos mais significativos do acampamento foi com certeza a Celebração dos/as Mártires da Caminhada, um forte momento de oração que nos fez pensar em nossos projetos de vida. A vida de tantos e tantas que se doaram pela causa do reino é sempre motivador e inspirador a nós jovens que estamos à procura de causas que valem a pena seguir. Além de refletir a realidade das causas de extermínio de milhares de irmãos e irmãs jovens vitimas desse modelo neoliberal que nos usa como bem entende, tenta nos proibir de sonhar e transformar nossa realidade. Também durante a celebração prestamos uma tocante homenagem as também vítimas desse modelo, os/as jovens de Santa Maria. Foi impressionante a força e intensidade em que foram lidos os nomes das 239 vítimas, parecia um trovão gritando “mataram mais um irmão, mataram mais uma irmã”, nesse momento de leitura dos nomes nos colocamos no lugar de cada um e cada uma, porque nós morremos um pouco junto com eles/as. Pedimos ao bom Deus que suas mortes não deixem calar nossa profecia e que as nossas vidas estejam sempre a serviço de tantas outras vidas, pra que tragédias/ genocídios como esta jamais voltem a acontecer.

Já na Madrugada do dia 12 nos despertamos bem cedo pra nos dirigirmos aos pontos de acolhida pra recepcionarmos com muita alegria as varias caravanas que vinham para a Romaria.

Digo sem medo de errar que: Uma Romaria da terra sem a presença dos/as jovens do campo e da cidade é uma romaria incompleta. Que o espirito da Romaria da Terra encha de esperança nossas romarias e lutas cotidianas.

Abaixo segue o depoimento captado nas redes sociais de dois jovens que participaram do acampamento e da romaria.

“Acabo de chegar da 36ª Romaria da Terra do Rio Grande do Sul. Esperanças renovadas. Do chão que gera alimento, que gera vida e nos dá a vida, a certeza que a organização do pequeno é que vai fazer a transformação que tanto sonhamos. É na fé em um Deus libertador que vêm os sorrisos de seguir em marcha, sabendo que as lágrimas secam e passam, mas o sorriso jamais se apaga! O povo quer é celebrar a vida, a sua luta, na sua maneira de expressar a sua fé humilde, desapegada a bens materiais, e que não quer um Deus que ostente ouros, mas que se faz pobre e caminha junto com os pobres. Ninguém tem o direito de negar a importância que a Romaria da Terra tem para nós; de nos tirar isso como se fosse apenas uma atividade pontual! Não se brinca com a fé popular! ("... E a PJ é do povão...")Alegria também em ter [re]encontrado tantos companheiros e companheiras da caminhada, que a fazem ser ainda mais bonita.”   
[Aline Ogliare- Diocese de Chapecó, Santa Catarina. Foto acima]

“Talvez um pouco da essência que liga intimamente o campo e a cidade é o compromisso com a defesa da vida, com os desafios de se gestar e cuidar das possibilidades de mudança, transgressão e libertação. Após a 36ª Romaria da Terra, ressoa em mim o constante (e permanente) desafio da humanização, a partir da ética do cuidado cotidiano, que mobilize o comprometimento solidário e fraterno com aquelas/es que habitam o mesmo mundo que eu... Ousemos continuar tendo uma fé encarnada na vida que se expressa pela comunhão e participação de todas/os sujeitas/os.” 
[Rafael Barros- Vicariato de Canoas. Foto acima].


Fortalecido na FÉ e nas LUTAS.
Marcelo Soares de Moura - Romeiro do Reino

15 de fevereiro de 2013

Missões Jovens da PJ da Arquidiocese de Passo Fundo


por Liliane Ferenci
PJ Arquidiocese de Passo Fundo


A vida da Juventude é missão de todos nós


A Pastoral da Juventude da Arquidiocese de Passo Fundo realizou, no dia 31 de janeiro até o dia 3 de fevereiro de 2013, as Missões Jovens na área pastoral de Marau. O encontro foi realizado no Anfiteatro da Paróquia Cristo Rei, em Marau, e contou com a presença de cerca de 70 jovens vindo de várias cidades da Arquidiocese. 

Com o tema “A vida da juventude é missão de todos nós” e o versículo “Vi então um novo céu e uma nova terra” (Ap. 21, 1) como iluminação bíblica, o processo das missões aconteceu durante o ano de 2012 em três encontros de formação. O quarto encontro do processo, em 2013, foi a realização da prática e visitas missionárias em quatro comunidades de Marau - Santa Lúcia, São José Operário, São Pelegrino e Constante Fuga, e nas cidades de Itapuca e Nicolau Vergueiro, que também fazem parte da área pastoral.

As visitas missionárias feitas pelos jovens fizeram algumas famílias se emocionarem - para algumas foi um simples momento de oração e partilha, mas para outras fez toda a diferença. 

Aparecida Montana (Cida) foi a assessora. Durante estes quatro dias de encontro, os jovens tiveram a oportunidade de participar de vários momentos de oração, reflexão, integração, aprendizado e de muita animação. Na programação do encontro estavam celebrações, formações sobre a atividade de missões realizada durante a sexta-feira e oficinas sobre diversos temas: Teatro, Pintura, Campanha da Fraternidade, Ofício Divino da Juventude, Campanha Contra a Violência e o Extermínio de Jovens e Mística e Identidade da Pastoral da Juventude. No último dia de encontro, domingo, a Pastoral da Juventude rezou, em frente à Igreja Matriz, o ofício em memória às vítimas da tragédia em Santa Maria.

O encontro terminou com um momento de muita emoção onde uma colcha de retalhos foi entregue para os jovens da cidade de Passo Fundo que neste ano receberam este compromisso missionário. A colcha é feita com todos os sonhos da juventude e todo ano é entregue para a cidade que recebe as missões; ela representa a responsabilidade de realização das missões e o cuidado com os sonhos da juventude. 

A Pastoral da Juventude agradece todo o apoio que recebeu da comunidade local para que esse encontro pudesse acontecer. Agradecemos as doações recebidas pelas empresas, mercados, padarias e livrarias; às famílias que acolheram os jovens durante os quatro dias em seus lares; às prefeituras de Marau e de Itapuca, que contribuíram com transporte para os missionários, à Paróquia Cristo Rei, ao pároco Frei Carlos Raimundo Rockembach pelo apoio, e a cada jovem que fez esse encontro tornar-se inesquecível.