27 de dezembro de 2010

Assembleia da PJ do Vicariato de Porto Alegre


Foi no calorento sábado do dia 11 de dezembro que aconteceu a Assembléia da PJ do Vicariato de Porto Alegre no La Salle Dores no Centro da cidade. Com a presença de representantes da maioria dos grupos de base, o dia foi de intenso trabalho onde pudemos parar e avaliar a caminhada deste ano, retomar nossas linhas de ação e planejar nossos passos para 2011. Iluminados e iluminadas pelo caminho de Emaús, foi num espírito de muita partilha e de sonhos que se construiu ações concretas e se reafirmou opções enquanto Pastoral da Juventude do Vicariato de Porto Alegre. Dentre os planejamentos para o próximo ano está a continuação das atividades da Campanha Contra a Violência e o Extermínio de Jovens, que serão pensadas e organizadas por um equipe municipal; e também formações temáticas para aqueles jovens que já realizaram Escola da Juventude, bem como a continuação das formações de iniciantes e lideranças juvenis. Estará em nossa pauta também em 2011 a celebração de 30 anos das PJs do RS e de que forma celebrá-la em nossa realidade. Neste mesmo dia houve a mudança do jovem coordenador/a do Vicariato através de indicação e eleição pelos grupos de base. Num bonito momento de envio celebrou-se a vida do jovem Felipe Vencato, que muito colaborou e trilhou seus caminhos durante 2 anos como coordenador e a  vida da jovem Tanise Medeiros que agora passa a assumir a representação de Porto Alegre. Ao Felipe Vencato nossa alegria de tê-lo caminhando junto conosco.

23 de dezembro de 2010

Natal Pejoteiro

O tempo nos obriga a olhar para o horizonte
e no horizonte se fala de revitalização.
Os anjos nos dizem, vestidos de esperança,
que nos dias que vivemos
todos e todas precisamos de uma Gruta:
a gruta da acolhida.
Não teve lugar para o Menino de nossos olhos...
Por isso sejamos e desejemos ser Gruta.
A revitalização natalina pede, também, uma Belém.
É o compromisso sagrado pelo pobre que não podemos esquecer.
Os sinos do consumo não podem esquecer os sinos desta Belém
onde Deus se encarnou.
Os dias que vivemos precisam, também, de uma Estrela.
Como é importante, no meio da noite e da tempestade,
enxergar e ter o brilho de uma estrela
porque as estrelas podem ser tapadas por nuvens
mas elas não morrem.
O convite é divino:
Ser Gruta
Ser Belém
Ser Estrela. Amém.
Querido/a pejoteiro/a é o que os anjos nos dizem.
A PJ deseja a ti neste Natal e em 2011 muita luz!
 De todos os lugares, dezembro de 2010.

Autor: Hilário Dick

18 de dezembro de 2010

Ao encontro de Jesus Cristo

Olá gurizada pejoteira do meu rio grande! Como está luta?
Estou passando por aqui para contar um pouco das novidades de nossa querida diocese de Uruguaiana, essa terra fronteiriça e missioneira.
Nos dias 4 e 5 de Dezembro no colégio Divino Coração, em Alegrete, aconteceu a reunião de avaliação do ano de 2010, e planejamento de 2011 da Pastoral da Juventude. Reunião essa que teve caráter de assembléia.
Na oportunidade, esse que vos escreve, deixou a função de coordenador diocesano, passando agora a função de assessor diocesano da PJ, juntamente com a Ir. Regina Führ, das Filhas de Santa Catarina, e com o Pe. Alvano Freitas, pároco da Nossa Senhora da Conceição Aparecida do Alegrete.
A nova equipe de coordenação irá se organizar em forma de colegiado, composta de dois membros por área de pastoral da diocese (Uruguaiana, São Borja, Santiago). As funções de cada membro da equipe dentro do colegiado será definida pelos próprios indicados na sua primeira atividade juntos, no mês de Fevereiro no retiro das lideranças. Foi indicado á coordenador o jovem Lucas Campos, de Santiago.
O texto que irá iluminar nossa caminhada no ano de 2011 será Lc 24 13-35(Os discípulos de Emaús), proposto pela coordenação de pastoral. Com o lema: O Encontro com Jesus Cristo.
Foi para nós um momento marcante e histórico, é a primeira vez que apostamos numa coordenação tão participativa. Agora sim podemos dizer que além de projetos, temos sonhos em comum por todos os cantos da diocese. Pedimos a graça de Deus para que possamos transformar os sonhos em realidade, crendo cada vez mais no amor e na semente que lançamos nesta Terra Santa.
Jorge Martins Filho - Coordenador da Diocese de Uruguaiana

9 de dezembro de 2010

PJ’s do RS realizam Seminário de Avaliação e Planejamento da Campanha contra a Violência e o Extermínio de Jovens

Realizada nos dias 4 e 5 de dezembro de 2010, o Seminário Estadual da Campanha contra a Violência e o Extermínio de Jovens do RS contou com a presença de jovens representantes da Pastoral da Juventude, Pastoral da Juventude Estudantil e Pastoral da Juventude Rural, além dos representantes convidados: Congregações, Trilha Cidadã, Levante Popular da Juventude e Juventude Libre. A assessoria ficou por conta de Fabiane (Trilha Cidadã) e Tiago.
Durante o Seminário as atividades de 2010 realizadas no regional, como o Lançamento Estadual na Assembléia Legislativa, foram sistematizadas e avaliadas em grupos. A partir da análise, os/as jovens presentes elencaram ações para o próximo ano. Uma das ações é a Formação de Multiplicadores da Campanha a ser realizadas nas inter – regiões do Estado, além do monitoramento das atividades que acontecerão nas dioceses.
O Trabalho e Juventude, indicado como temática para a Campanha no RS também foi ponto de conversa do Seminário. A temática continua para 2011 com a previsão da construção de um subsidio para os grupos de jovens. A falta de acesso e de dignidade no trabalho submetido à juventude hoje, é uma das causas geradoras da violência.
Ao final do encontro, o compromisso pela defesa da Vida da Juventude foi celebrado por todos/as presentes.
 

JUVENTUDE EM MARCHA... CONTRA A VIOLÊNCIA E O EXTERMÍNIO DE JOVENS!

8 de dezembro de 2010

Confira a reflexão feita por Padre Marcionei da Silva a partir dos debates do Seminário Estadual da Campanha nacional Contra o Extermínio de jovens realizado nos dias 4 e 5 de dezembro no CEPA, em São Leopoldo.

EM MARCHA CONTRA O EXTERMÍNIO DOS JOVENS

                Marcionei Miguel da Silva

                Estamos em marcha contra o extermínio dos jovens em nossa sociedade. As pastorais da juventude iniciaram essa marcha depois do assassinato do Pe. Gisley[1], assessor nacional do Setor Juventude. Um dia antes de sua morte o Pe. Gisley cunhou uma frase que foi encenada por todos os cantos de nosso país pelos jovens ligados às pastorais da juventude: “Vamos juntos gritar, girar o mundo, chega de violência e extermínio de jovens”. Essa campanha continua atual e desafia as autoridades civis e religiosas e nos faz pensar sobre os caminhos do amanhã. O que podemos fazer para “cessar fogo” em nossas praças? O que fazer para que as drogas “percam terreno”? O que fazer para motivar os jovens para o estudo, a reflexão, a música e o sentido da vida? A música ocupou amplos espaços e a violência ganhou sinais de vitalidade e grande notoriedade depois que os jovens começaram a ficar orgulhosos por estarem sendo filmados exibindo-se com atos violentos. Os inúmeros preconceitos, a falta de compreensão diante das diferenças e a imposição da opinião contrária através da força tem se espalhado em toda parte. Vivemos momentos de grande euforia, crescimento econômico e desenvoltura tecnológica, mas também estamos mergulhados em desastres ambientais, fragilidades econômicas (crises mundiais), fome, miséria, dor, abandono e morte. Não podemos ficar indiferentes com esse mundo transformado num verdadeiro caos (Haiti, Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre...). Os problemas pessoais não podem nos anular diante dos problemas dos outros. As soluções são coletivas, passam pela mediação política e exigem uma “força tarefa” de toda a comunidade e não apenas das autoridades.
                Quando mencionamos a questão do extermínio dos jovens trazemos à tona elementos ligados ao trabalho. Não se trata apenas do trabalho como elemento que nos é ofertado, mas da dignidade das condições que são oferecidas ao trabalhador. Fala-se do “trabalho escravo” que também é uma forma de extermínio. Tiramos dos jovens o direito de sonhar, não damos tempo para o estudo, formamos para os trabalhos humildes e simples e não para os cargos de maior remuneração. Fala-se que o trabalhador poderia fazer muito mais em sua vida e trabalhar muito menos. Não estamos dizendo que o jovem deva ganhar sem trabalhar, o que defendemos é a qualificação profissional desses jovens. No tempo em que não está trabalhando ele precisa preparar-se para o mercado de trabalho no futuro. A própria empresa deveria pensar alguma coisa nesse sentido para que o jovem pudesse ampliar sua auto-estima e, dessa forma, inserir-se num ambiente de maior exigência a partir de sua qualificação profissional.
                Alguns jovens falam do total desprezo que as empresas tem para com os estagiários. Eles não são reconhecidos, trabalham gratuitamente e até fazem hora-extra e nada recebem. Essa falta de remuneração ao estagiário é vista como “trabalho escravo”. Não estamos no fim da linha, mas batemos de frente com uma situação de extermínio, ainda que não seja de morte. Quando trabalhamos e não recebemos, “exterminamos” as possibilidades de compra, vivemos com as bibliotecas vazias, as mesas incompletas e as contas penduradas. Vivemos da dependência de outros e nem mesmo a locomoção nos é garantida. Não se pode sonhar com grandes investimentos e o talento fica atrofiado por conta das ausências de oportunidades que a vida não foi capaz de oferecer. Não se tem escolha sobre o lugar onde se quer morar. O fato é que esse jovem precisa sujeitar-se aos lugares mais humildes, mais distantes e menos dignos. A infra-estrutura está incompleta. O esgoto é “a céu aberto”, a luz “enjambrada”, a comida é a mais barata e os passeios são “na sola do sapato”. Esses jovens não têm livros em casa e quando precisam ler devem ir até a biblioteca pública. Só para se deslocar de suas casas até chegar a uma biblioteca pública ele vai precisar gastar quatro passagens de ônibus. Tornemos o fato mais realista. Cada passagem custa, em média, 3 reais. Para ir buscar o livro ele gasta 12 reais. Depois tem a devolução, mais 12. Como ele não consegue ler em 15 dias, então ele precisa voltar à biblioteca para renovar o empréstimo. Em resumo, para ler o livro em um mês ele vai precisar desembolsar 36 reais só em passagem de ônibus. Se o jovem quiser tomar um lanche, mais algum investimento. O jovem que precisa de livros emprestados para ler normalmente trabalha durante o dia e estuda à noite. Em resumo, não tem tempo para ler. À noite, cansado, ele quer dormir. Nos finais de semana, para sair da rotina, inventa novas atividades, como o futebol, o baile, a festa, o namoro ou o passeio em algum bar perto de casa. O jovem não pode ir muito longe e nem consegue sonhar muito alto. Esse estilo de vida leva o jovem a sentir-se diminuído, fraco e pouco motivado para seguir em frente. Em certo sentido o extermínio da juventude não ocorre apenas quando o jovem está estirado no chão sem o hálito da vida, mas ocorre, de modo muito particular, quando lhe impedem de amar, de estudar, de trabalhar dignamente, de ter família, de viver um mundo mais humano e mais fraterno e de ser gente. É comum vermos os jovens sem família, entregue ao mundo do tráfico e da prostituição e fora do mercado de trabalho por falta de qualificação. A vida continua, a dor não cessa, a fome chega, o roubo aumenta, os assaltos se multiplicam e a violência ganha notoriedade. Vivemos num “mundo cão” e somos surpreendidos pelas incoerências de nossas propostas. O jovem está salvo somente quando ganha espaço na sociedade para ser um ótimo arquiteto, um grande engenheiro ou um reconhecido empresário. Contudo, a prática tem nos mostrado elementos bem diferentes. Os magnatas também estão morrendo, os empresários entrando em falência e os estudiosos se desesperando por questões pessoais mal resolvidas. Há uma notável fragilidade de toda sorte em nossa sociedade que nós não estamos conseguindo sanar com responsabilidade e grandeza de alma. Os jovens pobres estão na pior, mas ainda sentem-se salvos quando o conforto afetivo os cerca. Aprendem a sobreviver com o mínimo necessário e são felizes com isso – mas ainda falta muito para atingir o ideal. De outro lado, os jovens mais abastados não estão plenamente satisfeitos. Vivem na solidão e sem clareza das escolhas que lhes foram propostas, ou mesmo imposta. 
                Nesse jogo de fragilidades é importante dar-se conta das qualidades que o jovem humilde e simples possui e que não podem ser descartadas, e das limitações que os jovens mais afortunados possuem e que não podem ser desejadas ou agregadas em nossa lista de sonhos. O discernimento é extremamente importante. Quando o olhar subjetivo fica comprometido, salta a questão do coletivo. A marcha contra o extermínio de jovens só é possível ser feita em grupo. A palavra “extermínio” soa de maneira agressiva e apresenta-se de forma repulsiva em nossa vida. Se há um extermínio, logo há um exterminador. Quem está matando a juventude? Quem está roubando dos jovens o direito de viverem? Colocamos toda culpa no cano da espingarda, na R15 ou na bazuca. O fato é que o jovem está sendo exterminado sem receber nenhum tiro. Já falamos das condições mínimas para sobreviver, das famílias desestruturadas, da escravidão no trabalho e da falta de preparo para os empregos que se apresentam. Não queremos defender bandido e marginal, mas sejamos realistas, ninguém nasce bandido, marginal, assassino ou ladrão. A sociedade é que vai corrompendo os jovens. Quanto maior a ganância, mais visível o contraste. Quem tem algum bem cuide, porque vai perder; e quem não tem não sobreviverá sem as mínimas condições, por isso buscará onde existe. A vida tem precedência. Se o salário não veio e o emprego foi perdido, alguma coisa será feita. A vida está em primeiro lugar. Antes que deixar a fruta apodrecer, algumas atitudes são tomadas pelos jovens menos entusiasmados em achar as soluções para os problemas de maneira mais digna e honrada. Cuidar dos jovens é cuidar de nossa própria vida, de nossa família, de nossos bens e do futuro da humanidade desde o nosso presente na sua infindável complexidade. 
                A marcha não é uma simples caminhada feita no centro da cidade para impressionar quem passa pelas avenidas. A marcha é uma tomada de consciência de toda a sociedade organizada para a inclusão de nossa juventude onde quer que ela esteja. Não se trata de certo ou errado, mas de coragem para ser fazer alguma coisa. O importante é estar com os jovens, rezar com eles, trabalhar por uma causa comum e pensar a partir de suas dores. As soluções para os problemas são políticas, éticas, organizacionais, religiosas e sociais. A marcha contra o extermínio dos jovens não é uma campanha exclusiva para os jovens cristãos exterminados, mas para todos os jovens. Temos pressa para resolver os problemas, queremos documentar nossas ações e não podemos nos omitir diante das dificuldades. A nossa marcha tem elementos intelectuais, comprometimento pastoral engajado, consciência política, debates ideológicos, escuta transformadora, assembléias de lideranças, reivindicações, projetos, formação humano-cristã e profecia. A nossa marcha extrapola o lúdico, supera a expressão poética, amplia o verso musical, desdobra-se em falas acadêmicas e sintetiza-se em artigos anúncio-denúncia. Em nossas marchas defendemos a vida em primeiro lugar, a organização da sociedade, o diálogo ecumênico e o testemunho das lideranças. Os mais fortes devem emprestar seu braços e seus ombros para carregar os menos prendados. Somente a partir do princípio misericórdia, como diz Jon Sobrino, e com o princípio da solidariedade, vestido de esperança que se move pela força da fé é que seremos vitoriosos em nosso propósito de inclusão que vai muito além do precoce sepultamento.




[1] A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou, nesta terça-feira, 16, um nota sobre o assassinato do assessor nacional do Setor Juventude, padre Gisley Azevedo Gomes. Ele foi morto nesta segunda-feira, 15, e o crime está sendo investigado pela Polícia, com o acompanhamento dos advogados da CNBB e da Congregação dos Sagrados Estigmas.

Confira a íntegra da nota:

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), profundamente consternada, comunica o assassinato do padre Gisley Azevedo Gomes, CSS, assessor nacional do Setor Juventude desta Conferência, ocorrido nesta segunda-feira, 15 de junho.  O crime está sendo investigado com empenho pela Polícia com o acompanhamento dos advogados da CNBB e da Congregação dos Sagrados Estigmas (Estigmatinos), a qual padre Gisley pertencia.

Ordenado em 29 de maio de 2005, padre Gisley estava na assessoria do Setor Juventude da CNBB há pouco mais de dois anos. Comprometido com a vida da juventude, organizava, juntamente com as Pastorais da Juventude do Brasil, a Campanha Nacional contra o Extermínio da Juventude que tem como lema “Juventude em marcha contra a violência”. Lamentavelmente ele foi vítima da violência que ansiava combater.
Cf. http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=273200

30 de novembro de 2010

“Por causa da felicidade...”

Foi no sábado, 20 de novembro, que os jovens dos grupos UPJ (Unidos Pela Juventude), JRC (Juventude Reunida em Cristo) e Reluz se reuniram para celebrar o 5º Encontro dos Grupos de Base da Área Niterói/Rio Branco (Vicariato de Canoas). Desta vez com a ajuda de três irmãs Franciscanas da Penitência e Caridade Cristã (Fátima, Lilian e Liliane) foi possível ler de forma orante a passagem de Marcos 2, 18 – 22 que casou de forma ímpar com o nosso tema: “Por causa da felicidade…”. Pudemos partilhar e comemorar os desafios que a juventude encontra na opção de viver em grupo a PJ. Estivemos reunidos entre 51 jovens dos três grupos da Área e conseguimos construir a nossa mandala da felicidade como símbolo da vontade de continuar a viver a PJ nos grupos, sempre em busca de felicidade!


Rafael Barros


28 de novembro de 2010

Ciranda das PJ’s do RS!

           No ensolarado domingo, 21 de novembro, lideranças da PJ (Paula, Rafael e Vencato), PJE (Bruno, Bruna e Marcelo) e PJR (Cristiano), Núcleo Betânia (Simone-assessora das PJ's) estiveram reunidas no Centro de Assistência Social do La Salle Niterói, em Canoas, para continuarem o processo de comunhão e participação das três pastorais no Estado. A Ciranda que as PJ’s do RS estão tendo neste ano se centra nas comemorações dos 30 anos de existência delas no Regional e o monitoramento da Campanha contra a Violência e o Extermínio de Jovens. Neste segundo encontro foi priorizado o estudo da memória destes 30 anos de vida e a construção de equipes para dar mais visibilidade às comemorações que iniciarão em 2011. O Seminário Estadual da Campanha contra a Violência e o Extermínio de Jovens também foi um ponto de pauta. Esta atividade terá como meta monitorar as ações locais que estão acontecendo, avaliar o ano e projetar as ações estaduais para 2011.

25 de novembro de 2010

Setor Juventude: Uma realidade!

No sábado ensolarado do dia 13 de Novembro de 2010 foi realizado o Momento Jovem do Vicariato de Guaíba na Paróquia Nossa Senhora do Livramento em Guaíba. O evento contou com a presença de mais de 110 jovens de 7 cidades do nosso vicariato. Com o apoio do Pe. Elemar Griebeler foram discutidos dinamicamente temas  importantes para a evangelização da juventude como a Campanha nacional contra o extermínio da juventude e o papel do Setor Juventude como um espaço de partilha e de vivências no vicariato.


Diante das dificuldades e recompensas trazidas pelo encontro fica o desejo de cada vez mais trabalhar com o jovem através de seu setor na igreja e a certeza de que o trabalho com a juventude pode sim ser uma opção do vicariato. 

18 de novembro de 2010

Pastoral da Juventude presente na Beatificação de Barbara Maix

Bem Aventurada Bárbara MaixOu Maria Bárbara da Santíssima Trindade – Dia 06 de novembro em Porto
Alegre, ultimo, foi realizada a beatificação de Bárbara Maix, celebração
presidida por Dom Dadeus Grings, e com a participação do Núncio Apostólico,
Dom Lorenzo Baldisseri representante do papa no Brasil. Com a participação
de muitas Irmãs, Sacerdotes, Líderes Comunitários, Militantes de Pastorais,
Políticos, Famílias, Amigos, Agraciados.A Pastoral da Juventude foi convidada a participar, e Victor Schiller da PJ da Diocese de Pelotas se fez presente além de outros jovens espalhados pelo Gigantinho.
Um pouco da Vida...

Bárbara, Vienense, da Áustria, 27/06/1818. Desde a infância buscava conhecer
os caminhos de Deus, e sabia que isso significava a busca da verdade, da justiça,
do amor, do respeito, da qualidade de vida para todos os seres humanos. Seu
desejo era fundar a Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria
(ICM). Aos 15 anos fica órfã de pai e mãe, e obriga-se a aprender uma profissão.
Torna-se modista. Depara-se com a realidade dura e cruel de milhares de
jovens, oriundas do interior, sem empregos, obrigadas a se prostituir. Vê-se
comprometida, cria uma escola para transmitir uma profissão. Muitas dessas
jovens compartilham do seu sonho. Devido as perseguições políticas contra
congregações femininas, não êxitou em buscar novos espaços onde fosse
acolhida e pudesse gerar esta novidade. Veio para o Brasil, aqui a realidade são
muitas crianças órfãs, filhas de militares mortos na Guerra do Paraguai e/ou
abandonadas por patrões que tinham os filhos extraconjugais com as escravas.

Por que Beatificar? O que é...Beatificar é uma forma de reconhecer todo o bem realizado por uma pessoa
em favor da humanidade. A Igreja precisa de testemunhas para anunciar
o evangelho. Beatifica-se uma pessoa após comprovar teológicamente
suas virtudes Teologais: Fé, Esperança e Caridade, e Virtudes Cardinais:
Temperança, Fortaleza, Justiça, prudência. Além de um milagre.

As virtudes de Bárbara foram estudadas a partir de suas cartas escritas às
irmãs e comunidades, suas iniciativas missionárias... O milagre aconteceu
quando um menino de 4 anos teve 50% do corpo queimado, os familiares foram
desenganados pelo médico que afirmou, só um milagre pode salvá-lo. Então os
pais começaram a rezar pedindo a intercessão de Bárbara e em 15 dias o menino
estava bem, sem cicatriz.

A comprovação é feita pela medicina, que não tem uma explicação científica,
então é considerado milagre.

Uma Bem Aventurada está no processo de ser considerada Santa. Na verdade,
de alguma forma já é considerada santa, mas para acontecer a Canonização,
necessita ser comprovado mais um milagre após a data da beatificação.

No sábado dia 6/11, nós Congregação juntamente com toda Comunidade Povo
de diversos estados do Brasil, da Argentina, Paraguai, Venezuela, Bolívia, Haiti,
Moçambique, Estados Unidos, Argentina e Roma, vivenciamos um momento
muito especial, de grandes emoções, a gente se alegra quando alguém que
admiramos e nos identificamos é reconhecida pelos seus valores. A gente sente-
se fortificada com esta experiência. E queremos que sempre mais pessoas
possam conhecer e se apaixonar pelo Projeto de Vida de Bárbara Maix.

Atualmente, a Congregação continua percebendo a causa das juventudes como
prioridade na missão, e de algumas formas busca apoiar, estar presente e lutar
com esta classe social. Estamos nas escolas, nas pastorais da Juventude e
outros segmentos que defendem a juventude. Penso que Barbara hoje também
preocupar-se-ia de modo muito comprometido com cada jovem. Hoje, a
violência, desemprego, drogadição, desigualdade social fere principalmente
jovens, instaurando a insegurança. Que possamos seguir o exemplo Barbara
hoje.

Ir. Maristela Bonadeu / Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria - Integrante da equipe de Coordenação da PJ da Diocese de Pelotas

15 de novembro de 2010

Pastoral da Juventude do RS prepara festa de “30 anos” na diocese de Erechim




Uma grande festa! Não há festa sem juventude! A festa “é parte da imensa criatividade humana”, é o espaço da gratuidade. A festa nunca é individual, mas uma experiência de participação. Acreditando nesse poder participativo a sonhando a construção de uma grande ciranda que perpassará o ano de 2011 em todos os pagos desse estado é que a Coordenação Regional de Jovens se reuniu na Paróquia São Cristóvão de Erechim nesse final de semana – 12/13 e 14. Contando com a assessoria da Fabiane Asquidamini da “Trilha Cidadã” e junto com alguns assessores, a meninada veio das dioceses de Rio Grande, de Pelotas, de Caxias do Sul, de Passo Fundo, de Santa Maria, de Santa Cruz do Sul, de Uruguaiana, de Novo Hamburgo, de Erechim e dos vicariatos de Porto Alegre e de Canoas se encontraram e planejaram/articularam o que já se chama “Projeto 30 anos de PJ’s”. Dentro desse grande projeto outras 4 ações estão sendo propostas: “Ação memória” – “Giro pelo Rio Grande do Sul” – “Ciranda da arte” – “Tenda de Javé”. A partir dos grupos de jovens de todas as dioceses, resgatar a história dessas pastorais, ir ao encontro de pessoas que iniciaram a história, que ajudaram na construção e projetar-se para o futuro como um ano de grande impulso para o protagonismo juvenil na Igreja e na sociedade.

Muitos sorrisos, muitas preocupações, muitas tensões, muitas inquietações, muitos sotaques, muitos jeitos de ser, de crer e de viver marcaram o final de semana. A “tenda” será o grande símbolo da festa. Acreditamos em Pastorais da Juventude que sejam tenda e que vão ao encontro da juventude nas ruas, nas praças, envoltos em carros com altos volumes, nas escolas, na roça, nas comunidades; acreditamos em uma Igreja tenda que vai ao encontro do seu povo, que vai ao encontro dos pobres; acreditamos que a tenda é o espaço do “sagrado” que faz a juventude viver, que encanta e faz a gente seguir o caminho rumo a terra onde “corre leite e mel”, terra essa em que os jovens não mais morrerão, não mais serão exterminados, não mais passarão necessidades por falta de oportunidades. Que a tenda de Deus nos conduza e conduza todas as dioceses no caminho sedutor da vida da juventude. Que o Deus da vida da Juventude que “se fez carne e construiu sua tenda entre nós” (cf. Jo 1,14) nos guie e nos faça ser sensíveis a sua graça nesse momento oportuno que vivemos.


Maicon André Malacarne

9 de novembro de 2010

Trilhando Novos Caminhos - 1ª Etapa

Entre os dias 29 de outubro e 02 de novembro de 2010 em São Leopoldo - RS aconteceu a segunda edição do Trilhando Novos Caminhos. O curso de formação oferecido pela Trilha Cidadã, como um espaço de partilha, de oração, de encontro, de construção, de parada para a reflexão das trilhas e vivência do trabalho de evangelização da Juventude, reuniu jovens militantes das Pastorais da Juventude do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina.

Fazem parte da Trupe do Trilhando Novos Caminhos: Anelise Muller (PJ Diocese de Caxias do Sul), Barbara Carine (Diocese de Blumenau), Bruno Oliveira (PJE Vicariato de Canoas), Cris (Diocese de Blumenau), Jaiane Kroth (PJ Diocese de Novo Hamburgo), Jorge Martins (Diocese de Uruguaiana), Junior Abalos (PJ Vicariato de Guaíba), Lucas Koakoski (Diocese de Caxias do Sul), Mirian (Missionária da Alemanha/Diocese de Novo Hamburgo), Pamela Grassi (PJ Caxias do Sul), Patrícia Vieira (Vicariato de Porto Alegre), Paula Grassi (PJ Caxias do Sul), Rafael Barros (PJ Vicariato de Canoas), Tanise Medeiros (Vicariato de Porto Alegre) e Victor Schiller (PJ Diocese de Pelotas).

Momentos de integração e espiritualidade fizeram parte do dia – a – dia do curso. Quanto à formação, os temas Realidade Juvenil, Juventude Contemporânea e Violência, Políticas Publicas para a Juventude assessorados por Fabiana Asquidamini, Padre Hilário Dick e Padre Edinho Thomassim levaram a turma ao estudo das realidades juvenis que os cercam, bem como as ações voltadas para a juventude no âmbito das políticas publicas. A vivência do curso também permitiu a partilha de vida de cada um/a e o fortalecimento das suas caminhadas nas PJ’s. E o querido amigo, Padre Hilário Dick reafirmou durante a celebração sua opção e a opção de cada um/a presente: projetos de vida voltados para a juventude.

Ao final da formação todos/as foram convidados/as presentear-se com pedras coloridas, simbolizando a alegria conseqüente da opção pela causa da juventude. A comunidade do Trilhando se despediu com o desejo do reencontro em fevereiro. Até lá cada um/a continua a trilhar sua militância, seus passos nos grupos de jovens, na vida coletiva pela construção do Reino de Deus.

4 de novembro de 2010

ORAÇÃO DO ASSESSOR E DA ASSESSORA DE JOVENS

ORAÇÃO DO ASSESSOR E DA ASSESSORA DE JOVENS 
por Maicon André Malacarne

Javé Deus, bendita seja Tua presença em nossa vida de assessores e assessoras de jovens.
Bendita seja a juventude por quem ousamos gestar sonhos e dedicar a vida.
Bendita seja a criatividade e a liberdade juvenil que forjamos lutar e cuidar.
Bendita seja as Sementes Ocultas do Verbo que encontramos na manifestação juvenil em todos os gestos, em todas as cores, em todos os sabores, em cada traço. Só podes ser Tu, Javé Deus, que teceu e colocou neles esses sinais de vida, de amor, de fidelidade...
Tu és o verbo!
Concede-nos a graça de sermos sempre mais fiéis ao Ministério da Assessoria.
Concede-nos a graça de testemunhar esse serviço com o Evangelho da Vida.
Concede-nos a graça do discernimento e da sabedoria necessária para entendermos, vivermos e anunciarmos Tua Palavra.
Concede-nos a graça ao nosso esforço de sermos coerentes em nossa prática diária.
Concede-nos a graça da oração e do silêncio.
Concede-nos a graça de termos um Projeto de Vida consistente e maduro e que seja para a vida do Teu povo e não para nosso reconhecimento pessoal.
Concede-nos a graça de não darmos conselhos vãos e fúteis, mas de vivermos intensamente a misericórdia - a mais alta capacidade afetiva.
Concede-nos a graça de buscarmos a verdade que liberta.
Concede-nos a graça de sermos simples e humildes diante de estruturas autoritárias.
Concede-nos a graça de confiarmos sempre na participação como exercício do protagonismo juvenil, dando a juventude toda sua voz e todas as suas oportunidades.
Javé Deus, concede-nos ainda a eterna busca da felicidade juvenil. É essa felicidade que buscamos diariamente através de nossas práticas, das nossas políticas, das nossas pedagogias, das nossas vidas frágeis e inconstantes, mas sedentas de esperança e de amor.
Que Tu, Javé Deus, nos ajude a vivenciarmos mais e melhor, junto com toda a juventude que nos é confiada, o nosso Ministério de Assessores e Assessoras.
Amém! 

3 de novembro de 2010

DNJ - PJ Itaqui

DNJ da PASTORAL DA JUVENTUDE
de ITAQUI-RS

Tivemos o início da comemoração do nosso DNJ  com um almoço na casa do integrante da PJ o Alisson que neste mesmo dia esteve aniversariando , neste almoço contamos com a presença de nossas queridas Irmãs Teresianas: Ir.Iria , Ir.Sílvia e Ir.Olga grandes amigas e assessoras da  Pastoral da Juventude em Itaqui.
Ao anoitecer do dia 24 de Outubro ás 20:00 horas na Igreja Matriz São Patrício, celebramos uma missa festiva em homenagem a juventude com cantos, leituras, proclamação do evangelho e preces dirigida aos jovens que estavam presentes.Após a procissão de entrada dos integrantes da PJ , houve uma encenação que teve como Lema:Chega de Violência e Extermínio de Jovens
Essa peça teve como idéia demonstrar aqueles que estavam presentes que os jovens, muitas vezes são tentados por aqueles que se dizem “amigos, a experimentar drogas, prostituição, violência, luxuria e vaidade”.
“E ao final quando tudo parece estar perdido lembramos que o nosso verdadeiro amigo é aquele que nos demonstra sinais e nós guia nos momentos mais tensos e perigosos de nossos vidas ele é Jesus Cristo “.
Após a encenações , fizemos uma homenagem emocionante ao nosso Pároco Padre João Luiz Marchry , um grande amigo ,além de nosso assessor espiritual, é apoiador de muitas idéias e projetos da PJ ,entregamos a ele uma lembrança á nossa camiseta modelo 2010 da PJ.

DNJ 2010 da Pastoral da Juventude de Itaqui teve a organização e participação:
Organização Geral: Núbia Dutra , Leandro Ugalde e Frãn Fresingueli.
Teatro: Carlos Vínicíus,Leandro, Frãn,Hanna,Ravana,
Andry,Alisson,Inácio,Núbia,Lucieli.
Leituras:Tomás,Luana,Frãn Rodrigues,Hanna,Lucieli.
Procissão de Entrada: Inácio,Nailê,Ravana,Aline, Fabi,Alessandra,Larissa,Isadora,Tavinho,
Cláudio,Diana,Kaely,Félix,Wendrik,Ezequiel,
Ravana,Tiago,Robernã,Alisson.


Por Núbia Dutra - Coordenadora da PJ Itaqui

DNJ - Vicariatos de Canoas, Porto Alegre e Gravataí

Juventude celebra DNJ em Canoas

Foram 25 anos de muita reza, muita luta e muita festa. Em todo o Brasil, as Pastorais da Juventude celebram uma bonita história de encontro e mobilização por uma causa durante o Dia Nacional da Juventude.
Na cidade de Canoas/RS, cerca de 400 jovens estiveram reunidos no Parque Eduardo Gomes neste domingo, 24 de outubro. As bandeiras dos grupos de jovens dos vicariatos de Porto Alegre, Gravataí e Canoas coloriram o local, resplandecendo vida para todos. O grito contra a violência o extermínio de jovens foi marcado pela realidade de morte que insiste em existir em nosso país.
Uma grande celebração deu início ao dia, envolvendo a juventude com a marca do protagonismo para a construção de um mundo novo. No período da tarde, os jovens participaram de oficinas e apresentações artísticas e culturais da região.
De acordo com Diego Farias, coordenador da PJ do Vicariato de Gravataí e da Coordenação Geral do Evento:
“A grande festa da juventude, o DNJ 2010, foi um grande marco na vida e na história da PJ dos Vicariatos de Canoas, Gravataí e Porto Alegre. Muito mais que festejar a juventude foi celebrar, dar vida, dar cor e, com muito amor deixou o dia mais bonito e com a cara da PJ. Eu, que acompanhei o processo de construção desse DNJ, com muita alegria digo que foi muito gratificante ver cada olhar, cada sorriso, cada verso cantado.....historias de vidas que acreditam num mundo novo, num novo céu e nova terra, concretizados na vida dos nossos grupos. Agradeço a todos/as que passaram pelo parque e contribuíram para que o DNJ fosse mágico. A banda do dia, que animou e empolgou a gurizada, está de parabéns. A coordenação do evento também está de parabéns pela garra, esforço e paixão pela PJ. Acredito que esse DNJ nos motivou e deu ânimo para continuarmos embalados pela fé do Cristo que liberta a juventude, pelo Deus da vida que acredita ma força do povo. Valeu galera! Viva o DNJ, Viva a Pastoral da Juventude!”


Como compromisso e comemoração dos 25 anos de DNJ's, foi escrita a "Carta Aberta dos 25 anos" que pode ser baixada e socializada pelo link:


Ou clicando na imagem abaixo:

28 de outubro de 2010

DNJ - Diocese de Santa Maria

          O Dia Nacional da Juventude da Diocese de Santa Maria foi celebrado num Encontrão Diocesano de Jovens, no município de Jaguari, comunidade Santa Juliana. Com a presença de cerca de 700 jovens dos diversos grupos de base da Pastoral da Juventude e movimentos eclesiais, contamos com a presença e animação de nosso pastor Dom Hélio Adelar Rubert. 
          Há um tempo o DNJ estava sendo preparado pelos grupos de jovens, que dividiram a organização das atividades. Em Jaguari, foi um realizado um Seminário de preparação, contando com a presença dos líderes e vice-líderes de 6ª série do ensino fundamental até a 3ª série do ensino médio de todas as turmas da rede municipal, assim como os representantes dos Grêmios Estudantis, os grupos da PJR e PJ, professores, lideranças paroquiais e o secretário municipal de educação.
        Em toda a diocese os grupos se prepararam a partir dos subsídios editados pelo CCJ e, confeccionaram uma colcha que serviu de toalha do altar da celebração eucarística. A programação contou com uma celebração de abertura sobre os 25 anos de DNJ, assessoria central e 16 oficinas simultâneas tendo como eixo transversal a “marcha contra a violência juvenil”. Alguns grupos prepararam apresentações artísticas e encerramos com missa e show da Banda da Pastoral Juvenil Marista.

DNJ - Diocese de Passo Fundo

A celebração dos 25 anos do Dia Nacional da Juventude aconteceu em nível de área pastoral em Passo fundo e carazinho e em nível de paróquia em Casca e Marau. Segue alguns depoimentos dos encontros.

Área de Carazinho: (16 e 17/10) Encontro com sobre DNJ e Campanha.
O que aprendi no Encontro CHEGA é ser mais humano com as pessoas, aprendi a perdoar este que é um dom que está sendo esquecido pela sociedade. Aprendemos a celebrar, e fomos desafiados a ensinar o que sabemos. Fizemos varias atividades, sorrimos, brincamos, cantamos, interagimos, passamos um dia transformando a realidade, e comigo levo a certeza que cada um que participou, sai daqui melhor do que quando chegou. Com sonhos e o desejo de mudança. Chega de Violência e Extermínio de Jovens.
Robson Salomão
A emoção de estar em grupo! A alegria da juventude... A alegria em saber que juntos podemos transformar a realidade, e principalmente marchar contra a Violência e o Extermínio de Jovens.
Raissa

Paróquia de Marau:  (24/10) Caminhada Jovem
A Pastoral da Juventude de Marau realizou o DNJ (Dia Nacional da Juventude) com a caminhada jovem na comunidade Sagrado Coração de Jesus, contando com a presença de 60 jovens de todos os bairros da cidade, caminhamos durante o percurso de 5 km, durante o mesmo paramos e fizemos o plantio de duas mudas de árvores as quais simbolizam a nossa passagem pela aquela comunidade, onde que nas 4 caminhadas anteriores também foram efetuadas que significam crescer e produzir bons frutos, assim como a gente espera da juventude de Marau, que cresça e produza muitos frutos para continuar evangelizando. O dia foi marcada pela integração e jogos. As 11hs da manhã tivemos uma linda celebração. Após o almoço passamos a tarde celebrando a vida da Juventude.
Camille Chiot Dal’ Maso


Paróquia de Casca: (24/10) – Encontro sobre o DNJ e Campanha
O encontro em comemoração ao DNJ (Dia Nacional da Juventude) foi muito bom. Além da integração, a parte reflexiva foi proveitosa, pois muitas vezes não nos damos conta dos números alarmantes da violência contra o jovem. É importante para nós comemorar nosso dia, pois muitos jovens não têm conhecimento que temos um dia para refletir sobre nós mesmos e nossas vidas.
Daniela Trasniski

Área de Passo Fundo:  Encontro DNJ e Campanha
A experiência de participar do DNJ foi ótima. Descobrindo como foram os DNJ’s passados adquiri confiança para continuar essa batalha em busca da civilização do amor, pois carrego a luta iniciada a 25 anos por jovens brasileiros que mostraram pela primeira vez sua indignação com a situação da juventude brasileira. Nesses 25 anos a juventude protestou por  políticas públicas, contra a falta de educação, em favor do meio ambiente, contra a violência.... O encontro em Passo Fundo foi realizado no Seminário Nossa Senhora Aparecida e reuniu cerca de 40 jovens, teve como tema central - DNJ 25 anos: Celebrando a memória e transformando a história - foi um dia de reza, muita luta, muita festa como traz o lema deste DNJ.
Leonardo Lau
A comemoração do Dia Nacional da Juventude aqui em Passo Fundo foi divertida e formativa. É muito importante quanto uma pastoral tão influente na vida da juventude organiza encontros, fazendo uma rememoração de sua trajetória e suas lutas, da importância da militância da juventude na história de nosso país. Os organizadores do evento estão de parabéns, vale destacar também  a gincana e o momento de espiritualidade, pois, os mesmos promoveram uma maior integração de toda a Juventude. Parabéns a todos que participaram!
Talisson Silva 

PJ na 19ª Romaria de Nossa Senhora Conquistadora - Diocese de Uruguaiana


19ª Romaria de Nossa Senhora Conquistadora 

No dia 17 de outubro de 2010 , realizou-se a tão esperada e festejada Romaria de Nossa Senhora Conquistadora e também o Centenário de nossa Diocese de Uruguaiana. Estavam presentes mais de 30 mil romeiros e mais de 500 jovens integrantes da Pastoral da Juventude: Itaqui , São Borja , Barra do Quarai , Uruguaiana , Santiago , São Francisco de Assis, Manoel Viana, Quarai , Alegrete , e de todos os encantos e recantos de nossa Diocese estavam  cantando e celebrando além de levantar a bandeira da " MARCHA CONTRA A VIOLÊNCIA E EXTERMÍNIO DE JOVENS " .Após , o encerramento da missa campal, a galerinha da Banda da PJ agitou a juventude para a abertura do show de Antonio Cardoso que venho diretamente de São Paulo e fez um ilustre show com mensagens e músicas que emocionaram muitas pessoas. 
A juventude da Diocese deu  a resposta: festejo , pulou ,cantou e demonstrou o quando é bom ser jovem e ser Pastoral da Juventude.



                                                                                           
                                                                                              

DNJ - Diocese de Vacaria

O DNJ da Diocese de Vacaria ocorreu no dia 24 de outubro na cidade de Ibiacá, reunindo cerca de 350 jovens. O encontro iniciou com uma caminhada de 2km até o Santuário de Nossa Senhora Consoladora, representando a Marcha contra a violência de jovens e o grito da Juventude por Paz. Logo após, o tema do DNJ "Celebrando a Memória e Transformando a História" e a Campanha contra a Violência e o Extermínio de Jovens foram refletidos pelos grupos presentes. A celebração eucaristica marcou o final do encontro, com o desejo de continuidade na construção da Civilização do Amor.

26 de outubro de 2010

2º Seminário de Bíblia e Juventudes

Nos dias 27 e 28 de novembro de 2010, o Rio Grande do Sul terá um novo e aguardado encontro: 2º Seminário de Bíblia e Juventudes. Será no CEPA (Centro de Espiritualidade Padre Arturo Paoli), em São Leopoldo/RS. Em mais uma iniciativa da parceria entre CEBI (Centro Ecumênico de Estudos Bíblicos) e ONG Trilha Cidadã, a proposta agora é contemplar a literatura apocalíptica a partir da ótica juvenil, tendo como base o texto de Ap 12-13. É possível conciliar realidades juvenis e a Bíblia? Nossa busca continua! A quem interessar possa, o encontro sairá por R$ 20,00 (despesas da casa) + passagens. É necessário trazer roupa de cama, Bíblias, instrumentos musicais e material de anotação. Mais informações: possatojr@gmail.com

Doutores da Alegria - PJ Itaqui

"A Pastoral da Juventude de Itaqui tomou uma iniciativa interessante no mês de Outubro partir de uma gincana que organizada pela PJ da Diocese de Uruguaiana. Um do itens da gincana foi a realização de um projeto social.
Decidimos que todos os grupos se juntassem  para realizar essa tarefa que pra nós é a maior honra. Fomos então , DOUTORES da ALEGRIA para levar a alegria aqueles que necessitam. Vestidos de palhaços ,visitamos crianças que estavam internadas no Hospital São Patrício e contamos historinhas para elas, além  da palavra de Deupois somos missionários jovens de Cristo ! Logo após também visitamos o Asilo Lar São José .
E o nosso projeto tomou continuidade: ganhamos um espaço de recreação no HP São Patrício. Ao longo da semana somos chamados para visitar fundações e escolas aonde se encontram crianças especiais , carentes e abandonadas que necessitam de atenção !

E é com muito a amor e alegria que nós estamos realizando essa missão!" - Por Núbia Dutra, coordenadora da PJ de Itaqui 


                                      

O QUE PODEMOS COLHER APÓS UM DIA NACIONAL DA JUVENTUDE? - Por Leonardo D. Gonçalvez -

O QUE PODEMOS COLHER APÓS UM
DIA NACIONAL DA JUVENTUDE?

                                                                                            Vamos juntos Gritar, girar o Mundo!
Chega de Violência e Extermínio de Jovens.
(Pe. Gisley, junto do Pai).


             Sempre ouvi que um DNJ é vivido de forma diferente por quem o prepara. De fato, pensando nos Dias Nacionais da Juventude que ajudei organizar, lembro que o sabor era outro. O ‘peso’ das responsabilidades, por vezes, condiciona-nos o sentimento que, a priori, deveríamos despertar ao participarmos de um dia dedicado à vida da juventude. Não quero dizer aqui organizar o Dia Nacional da Juventude é penoso e triste. Pelo contrário, as pessoas que disponibilizam suas vidas para preparar um dia como este, o fazem porque tem clareza que esta experiência é significativa e marca com profundidade a caminhada dos jovens.

            Este texto quer externar o sentimento colhido por quem vive o DNJ. Falo da participação no encontro de 23 de Outubro de 2010, na Ilha da Torotama em Rio Grande-RS. Ilha esta que preserva a comunidade católica (Nossa Senhora de Lourdes) mais distante do centro da cidade (cerca de 1h20min de ônibus), mas que foi escolhida pelas comunidades da Paróquia Nossa Senhora da Penha para sediar o IV Encontrão de Jovens. Também, este ano, contou com a presença juvenil de outras comunidades da cidade, Diocese de Pelotas e Diocese de Bagé. Um verdadeiro arranjo de pessoas que juntas celebraram a vida, denunciaram a violência e o extermínio escandaloso da Juventude e festejaram, em comunhão com as Pastorais da Juventude do Brasil, os 25 anos do DNJ.

            Na busca pelas melhores expressões (que, por vezes, faltam), sou levado a imaginar os discípulos de Jesus ao vê-lo transfigurado (Lc. 9,28-36). O mestre, na montanha, se apresenta transparentemente mudado, provocando um novo sentimento naquelas pessoas. Já não é o mesmo Cristo que conheceram! É um Deus aberto, que maravilha seus amigos pela infinitude com que se mostra.  Tenho convicção que a beleza presente em Jesus mexeu no íntimo dos discípulos. Ora, a beleza do encontro deste último sábado me (re)encantou. O que os jovens prepararam foi, sem dúvida alguma, uma pérola. Um gesto sincero, profundo, de quem realmente quer um mundo diferente. E isso é tão raro nos dias atuais que, quando ganha vida, criado pelo trabalho de jovens, é dever nosso torná-lo conhecido.

            Muitos momentos que vivi neste dia foram marcantes. Lembro a celebração. Uma liturgia muito bem pensada, organizada para que os jovens reflitam rezando, rezem refletindo e não fragmentem estas duas dimensões do humano. A equipe paroquial junta, na fila da frente, demonstrava o comprometimento dos jovens com a eucaristia que estava sendo celebrada. Os olhos daqueles meninos e meninas brilhavam ao ver Jesus sendo elevado pelas mãos do bispo. Lindo de ver! Cenas que dinheiro nenhum paga! A audácia destes jovens ficou marcada ao cantar o Pai Nosso dos Mártires. Escândalo Divino. Nem todos entenderam, mas aqueles que produziram este dia sentiram o sagrado cantando verdades por meio daquelas lindas vozes. Como a sociedade burguesa, sustentada pelo insustentável capital, deveria escutar emancipadamente orações como esta. Seria este, também, um desafio daqueles que procuram viver a exemplo de Jesus?

            A senhora dos ‘olhos pequenos’ veio a nós: - Meninos, não queremos cobrar o almoço! Os jovens não permitiram. A comunidade necessita receber alguma contribuição material que ajudará com os gastos de gás, luz, água que estavam disponíveis neste encontro. Precisam, acima de tudo, receber a gratidão dos jovens pela entrega em garantir a alimentação de mais de 150 pessoas. Isso tudo para dar uma noção do que foi o almoço deste encontro. Comemos amor, trabalho, carinho e crença numa juventude que pode transformar o mundo em um lugar bom para se viver. Os adultos, velhos, crianças que ali estiveram nos disseram sem falar: “Juventude, nós estamos com vocês”.

            Um Jovem parado é um jovem morto. Por isso, a Pastoral da Juventude, confiante na mudança constante, é a favor de promover caminhadas. Caminhamos para olhar no rosto das pessoas que não caminham conosco e dizer: Venham conosco! Nossa causa é a Vida! Neste DNJ, caminhamos pelas ruas da Ilha da Torotama para convidar aquela população a olhar o quanto à juventude está sendo exterminada. Juventude que morre pela ausência de trabalho digno, exterminada pelo fanatismo religioso, esportivo, morta pela busca de sentido de vida encontrada nas drogas e perdida no trânsito. Temos convicção que a juventude, em todos estes aspectos, é vítima. Vítima de um meio social produzido historicamente para não valorizar a vida. Nossa esperança reside nisto: Por ser histórico, é humano. Sendo humano, é passível de transformação. E que Deus nos permita efetivar a cada dia esta Campanha Nacional Contra Violência e Extermínio de Jovens.

            Dia Nacional da Juventude sem oficinas é como um dia sem sol. Acreditamos na capacidade da juventude em refletir temas necessários a vida da sociedade, da Igreja e dos grupos de jovens. Neste dia, as oficinas contaram, em sua maioria, com o trabalho da juventude da Diocese de Pelotas. Aliás, damos graças a Deus pela presença dessa turma em nosso encontro. Com um entusiasmo de causar inveja, nos proporcionaram uma importante segurança no trabalho formativo da tarde. São parcerias assim produzidas que demonstram a necessidade que temos uns dos outros. Afinal, se somos irmãos, devemos viver como uma grande família. Neste caso em particular, a família ‘pejoteira’.

            A alegria da comunidade pelo encontro ali realizado refletiu como um sinal de apoio à causa da juventude. Uma atenção de pai e mãe que cuida dos filhos como jóias raras! Sentia naquela gente, pelos olhares das senhoras e a agitação das crianças, que a juventude presente estava sendo amada! É um povo que se preocupa demais com o bem-estar dos visitantes. Ao som de músicas que cantam a vida, fomos ajudando na organização das mesas para o lanche, que foi doado por várias famílias daquele lugar. Entre pizzas, bolos, suco natural de laranja, a juventude se aproximava do banquete da festa, da partilha do fruto do trabalho humano, para se alimentar e ir para casa materialmente saciado. Para a comunidade, este ato significa orgulho. Para a juventude, gratidão. E fomos encerrando com inúmeras salvas de palmas e agradecimentos a todos e todas que contribuíram de alguma forma. E que venha Santa Cecília do Pesqueiro.

            Mas, enfim, o que colher de um dia como este? Para que esta pergunta seja respondida com sinceridade e adensamento de sentido, seria preciso dizer com as palavras o que se sente. Viver o DNJ da Pastoral da Juventude, em uma comunidade de base, com pessoas felizes na simplicidade que é ser Igreja ‘no fim-do-mundo’ (expressão utilizada por um jovem que pretende ser padre), é viver a experiência das primeiras comunidades, onde tudo que se tinha era de todos. E, assim, todo mundo tinha e era, ou era e tinha. Com isso, entendo que a colheita de um dia desses alimenta nosso coração com a esperança do Reino junto à juventude. 

É isso.
           


Leonardo D. Gonçalves
PJ do Rio Grande-RS.
Criando-me Acompanhante de Jovens